Siga
Aprenda a identificar nova fraude em bombas de gasolina

Brasil

Aprenda a identificar nova fraude em bombas de gasolina

Fraude tecnológica foi identificada em 55 postos de combustíveis de São Paulo e pode estar presente em outros Estados também

Um novo tipo de golpe nos postos de gasolina assusta os motoristas e desperta um alerta: como identificar a fraude tecnológica?

A reportagem do UOL conversou com frentistas em seis postos de combustíveis de São Paulo e explica como funciona a fraude: com um chip instalado dentro da bomba, é possível interferir no funcionamento da placa eletrônica e alterar a contagem que aparece no visor. O comando é feito à distância, por controle remoto ou aplicativo de celular. Ao comprar 20 litros, por exemplo, o cliente recebe apenas 18 litros.

Entre agosto de 2016 e maio de 2017, o Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas) flagrou 55 postos de São Paulo que cometiam esse tipo de infração.

O superintendente do órgão fiscalizador, Guaracy Fontes Monteiro Filho, explica que, na média, o motorista é lesado facilmente porque é quase impossível reparar na diferença de volume.

Monteiro conta que, para mexer na bomba, além de violar o lacre de segurança colocado pelos fiscais, é preciso entender de tecnologia e de como o equipamento funciona. A suspeita é de que a quadrilha especializada esteja oferecendo o serviço aos donos de postos de São Paulo e de outros Estados pelo país.

DICAS PARA NÃO CAIR NO GOLPE

1. Duvide de preços muito abaixo da média

2. Fique atento ao visor da bomba

3. Saiba qual é a autonomia do seu veículo

4. Verifique se a bomba funciona direito: a publicação explica que o dodo posto de combustível deve ter à disposição do cliente um balde aferidor que pode ser usado para medir se está correta a quantidade que sai da bomba. O motorista pode pedir para fazer o teste: o frentista coloca 20 litros de combustível neste galão e a marca deve bater com o número de litros.

5. Abasteça sempre no mesmo posto

6. Abasteça em um posto bem movimentado

7. Em caso de suspeita, denuncie. A ANP (Agência Nacional de Petróleo) recebe ligações gratuitas no número 0800 970 0267 para denúncias sobre adulteração de combustível.

Fonte: UOL

Publicidade

ASSFAPOM - Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia

Publicidade

Conveniência Liberdade em Porto Velho

Publicidade

Gurjão Santiago Kikuchi Advogados Associados

Publicidade

BOCA ROSA – Curso de Maquiagem PROFISSIONAL

Publicidade

3D Store - O estilo que você precisa!

Publicidade

O tal do Espetinho

Publicidade

Aggio Climatização