Siga

Dinheiro

[CONTEÚDO 5] Quais os tipos de títulos públicos existentes?

Hoje chegamos ao quinto artigo dessa série especial sobre o Tesouro Direto. No conteúdo de hoje eu vou falar dos tipos de títulos públicos existentes, para que você não fique na dúvida na hora de investir.

Existem três tipos de títulos públicos que você pode investir, com características bem diferentes, por isso é importante conhecer as diferenças e os riscos para tomar a decisão correta.

Os três tipos de títulos públicos

Tipos de Títulos Públicos Prefixados, Pós-Fixados e Mistos

Títulos Pós-fixados

O único título público pós-fixado é o Tesouro Selic (antiga LFT).

É uma boa alternativa para quem pode precisar resgatar o dinheiro a qualquer momento, pois não tem oscilações negativas. É a melhor alternativa do Tesouro Direto para quem quer possuir uma reserva de emergência e ainda contar com uma boa rentabilidade.

O Tesouro Selic tem o seu rendimento justamente atrelado à taxa de juros básica da economia, a Selic.

Fique atento que no momento da compra a remuneração do título é acrescida (ou decrescida) de um pequeno ágio (ou deságio).

Títulos Prefixados

O Tesouro Direto oferece dois tipos de títulos públicos prefixados.

O Tesouro Prefixado (antiga LTN) e o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (antiga NTN-F).

São títulos indicados para quem quer saber exatamente a taxa de rendimento anual até o vencimento do título, não ficando sujeito às variações das taxas de juros desde que deixe o título investido até o seu vencimento. Devem ser associados a planos de médio e longo prazo.

A única desvantagem dos títulos prefixados é que dependendo das oscilações do mercado, o valor do seu título pode cair. Mas fique tranquilo, desde que você respeito a data de vencimento do título, você terá o retorno prometido no dia da compra.

Quanto ao título com pagamento de juros semestrais, os cupons, é um investimento mais recomendado para quem ter uma renda extra.

Títulos Mistos (indexados à inflação)

Existem dois tipos de título públicos mistos, ambos indexados ao IPCA, que é o índice oficial da inflação brasileira.

São eles: o Tesouro IPCA+ (antiga NTN-B Principal) e o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (antiga NTN-B).

A grande vantagem desses títulos é que além de serem corrigidos pela inflação (parte pós-fixada), remuneram um adicional contratado no dia da compra (parte prefixada). Assim, o seu ganho real é garantido, pois o rendimento do seu título sempre irá superar a inflação.

Geralmente são títulos com prazo de vencimento mais longo, ficando sujeitos à fortes oscilações. Desse modo, é um título recomendado para quem não vai precisar do dinheiro em breve. É uma ótima opção para quem quer planejar uma aposentadoria confortável.

Da mesma forma que os títulos prefixados, os títulos indexados a inflação também oferecem a modalidade com pagamento de juros semestrais. Este também é recomendável para quem quer ter um complemento a renda.

Se você quiser aprender ainda mais sobre o Tesouro Direto, dá uma olhada nesse Treinamento Completo que foi preparado para revelar absolutamente todos os segredos que você precisa saber para começar a investir agora mesmo.

Fique por dentro da série de artigos e deixe um comentário:

[CONTEÚDO 1] O que é o Tesouro Direto?

[CONTEÚDO 2] Quais as vantagens do Tesouro Direto?

[CONTEÚDO 3] Quais os riscos do Tesouro Direto?

[CONTEÚDO 4] Verdades e Mitos sobre o Tesouro Direto

[CONTEÚDO 5] Quais os tipos de títulos públicos existentes?

[CONTEÚDO 6] Quais os custos do Tesouro Direto?

[CONTEÚDO 7] Como investir no Tesouro Direto?

Crédito das imagens: www.shutterstock.com.br

Fonte: Blog GuiaInvest

Publicidade

ASSFAPOM - Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia

Publicidade

Conveniência Liberdade em Porto Velho

Publicidade

Gurjão Santiago Kikuchi Advogados Associados

Publicidade

BOCA ROSA – Curso de Maquiagem PROFISSIONAL

Publicidade

3D Store - O estilo que você precisa!

Publicidade

O tal do Espetinho

Publicidade

Aggio Climatização