Siga
Grupo KES - Curso de Formação de Bombeiro Civil


Polícia

Preso ex-vereador cai de beliche e bate a cabeça, mas justiça o mantém na cadeia

Preso em Vilhena, ex-vereador cai de beliche e bate a cabeça, mas justiça o mantém na cadeiaO desembargador Valdeci Castellar Citon, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ/RO), indeferiu liminar em habeas corpus solicitada pela defesa do ex-vereador de Chupinguaia Roberto Ferreira Pinto, mantendo-o na prisão.

Ferreira foi preso no dia 23 de fevereiro de 2017 e cumpre pena no Centro de Ressocialização Cone Sul, presídio que fica na área rural de Vilhena.

No dia 09 de junho, o parlamentar sofreu acidente dentro da cela que ocupa, quando descia do beliche superior, batendo a cabeça. O episódio teria rendido traumatismo craniano ao ex-vereador.

Roberto Pinto foi submetido para atendimento médico e, após receber alta, segundo a advogada que o representa, seu quadro de saúde piorou, “tendo crises de vômito e cefaleia, somente conseguindo nova internação com a intervenção da impetrante [advogada] […]”.

Teria sido recomendado pelo médico tratamento com medicações e repouso de seis a doze meses em ambiente afastado de ruídos intensos e sono regular, sendo que atualmente o condenado divide uma cela de 2 metros quadrados com outros treze apenados.

A defesa do vereador sustentou, ainda, que o estabelecimento prisional não tem condições de arcar com as despesas do tratamento, necessitando o agendamento do SUS [Sistema Único de Saúde], “sendo o caso do paciente relativamente grave, não podendo ficar sem atendimento imediato”, concluiu a advogada.

Resumindo, a intenção era obter a concessão da prisão domiciliar através do Judiciário: não funcionou.

Antes de negar o pleito, disse o desembargador:

“Na hipótese, resta evidenciado que o objetivo da impetrante é substituir instrumento próprio previsto no ordenamento jurídico cabível para a espécie”, apontou.

E concluiu:

“Verifico ainda a inexistência de flagrante ilegalidade a ensejar a concessão da ordem de ofício, porquanto a autoridade impetrada verificou que a unidade prisional tem condições e está oferecendo tratamento médico adequado, a qual inclusive conta com enfermagem que atua em regime de plantão, tendo a direção da unidade afirmado ter condições de fornecer acompanhamento quinzenal com o devido traslado do apenado”, finalizou Castellar.

Fonte: Folha do Sul

comentários

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

3D Store - O estilo que você precisa!

Publicidade

ASSFAPOM - Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia

Publicidade

Home Help Reparos e Soluções!

Publicidade

Aggio Climatização

Mais em Polícia