Siga
Grupo KES - Curso de Formação de Bombeiro Civil
Cinco capitais têm protestos contra Temer na manhã deste domingo
Foto: Ilustrativa

Política

Cinco capitais têm protestos contra Temer na manhã deste domingo

Ao menos cinco capitais tiveram na manhã deste domingo (21) manifestações contra o presidente Michel Temer (PMDB).

Os atos, convocados por centrais sindicais e movimentos de esquerda, pediam ainda a realização de eleições diretas no país e criticavam as reformas da Previdência e Trabalhista.

Houve atos em Belo Horizonte (MG), Goiânia (GO), Belém (PA), Brasília e Rio de Janeiro. Siga o andamento dos protestos minuto a minuto por aqui.

Em Belo Horizonte, o ato celebrou ainda o afastamento do senador Aécio Neves (PSDB), ex-governador do Estado, e protestou contra o STF (Supremo Tribunal Federal).

A manifestação começou na praça da Liberdade, região central da cidade, às 9h, e, duas horas depois, os participantes caminharam até a praça Sete de Setembro. A Polícia Militar não divulgou estimativa de público -para os organizadores, foram 50 mil pessoas.

Além da capital, Minas Gerais teve também protestos em cidades do interior, como Uberlândia e Juiz de Fora (MG).

O protesto na capital de Goiás pedindo a saída de Temer da presidência e a realização de eleições diretas no país ocorreu no centro da cidade, na praça do Trabalhador, a partir das 10h30. Não houve estimativa de público.

Em Belém, a manifestação convocada por movimentos sociais e sindicatos ocorreu na região central da capital paraense, no Theatro da Paz.

Nos cartazes e faixas, os manifestantes afirmavam ser contra as reformas Trabalhista e da Previdência, pediam a renúncia do presidente Michel Temer (PMDB) e a realização de eleições diretas imediatamente. Também não houve divulgação de estimativa de público.

Já no Rio de Janeiro, cerca de 100 pessoas se reuniram na praia de Copacabana para protestar contra o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), num ato que também pedia o impeachment de Temer.

Outros alvos do protesto foram o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) e a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo. Os manifestantes ainda pretendem ir até a casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Já em Brasília, um grupo de cerca de 250 pessoas se reuniu, segundo estimativa da Polícia Militar, para protestar contra o governo Temer.

Boa parte dos manifestantes são membros de sindicatos e centrais como CUT (Central Única dos Trabalhadores). Também estavam presentes movimentos como o Levante Popular da Juventude e militantes de partidos como PT e PC do B.A manifestação acontece em frente à Biblioteca Nacional, na região central, a poucos metros do início da Esplanada dos Ministérios.

RECEIO DUPLO

A professora aposentada Claudia Lelis, 52, que participou da manifestação em Brasília, disse ter ido ao protesto de forma espontânea por acreditar que o governo, com qual ela já não concordava, chegou a um ponto insustentável.

Ela teme eleições indiretas. “Querem colocar o [Henrique] Meirelles, que é um desses representantes dessa forma arcaica de fazer política. Não vai mudar nada. As reformas que retiram direitos do trabalhador vão continuar e não vão estancar a sangria do dinheiro público.”

+ Polícia faz megaoperação de combate ao tráfico na cracolândia

Mas também afirmou ter receio de um pleito direto. “Vivemos o perigo de eleger um Bolsonaro. Realmente não tenho clareza do que vai acontecer.” Com infomrações da Folhapress.

Fonte: Folhaprfess

comentários

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

3D Store - O estilo que você precisa!

Publicidade

ASSFAPOM - Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia

Publicidade

Home Help Reparos e Soluções!

Publicidade

Aggio Climatização

Mais em Política