Siga
Fim da era midiática na Procuradoria Geral da República - Por Sérgio Pires

Política

Fim da era midiática na Procuradoria Geral da República – Por Sérgio Pires

A Justiça midiática, a busca dos refletores, a paixão partidária latente, a procura de entrar para a História a fórceps, é uma fase que chega ao final (até que enfim, com o perdão do pleonasmo), com a saída de Rodrigo Janot da Procuradoria Geral da República e a chegada da primeira mulher a ocupar o posto, Raquel Dodge. Janot teve sim seus momentos de brilhantismo, mas chegou ao final do seu mandato preocupado muito mais com sua imagem do que com seu cargo; muito mais com seu futuro do que com seu passado. Provável candidato ao Governo de Minas ou ao Senado, ele tratou se preocupar bem mais com essa visão de futuro. Acabou se enredando naquele assunto mais destacado das últimas décadas: a delação premiada dos irmãos Batista. Traído por um companheiro da Procuradoria, que passou para o lado da grana quando ainda era membro do MP, Janot fez um acordo espúrio com a dupla de criminosos e depois, por uma pressão da opinião pública nacional, achou milagrosamente umas fitas escabrosas, o que o salvou da vergonha, por, enfim, mandar os irmãos para o xilindró. Janot teve altos e baixos, ajudou mesmo a combater a corrupção, mas os holofotes foram mais importantes. Sai pela porta dos fundos, quando poderia ter saído com um prestígio de um Sérgio Moro. Perante a opinião pública, não há comparação entre os dois…

O novo nome da Procuradoria traz consigo a expectativa de que a função volte a ser apenas a de uma estrutura vital para a democracia e não apenas uma sucessão de buscas de holofotes da mídia. Raquel Dodge chega ao cargo com uma vida funcional exemplar e traz consigo a esperança de que a Lava Jato e outras operações contra a corrupção continuem, mas sem a forma cinematográfica com que Janot tratava essas questões. É uma esperança de que a Procuradoria volte a ser a entidade vital para combater os mal feitos, mas sem o estrelismo e até o partidarismo com que Janot trabalhou em muitos momentos. Enfim, há um fio de esperança de que as coisas melhorem e que a criminalização de tudo, em troca de holofotes, não seja o mote principal da nova Procuradora. Tomara que ela seja o que se espera: dura, mas sem a paixão pela mídia, que encantou seu antecessor. Justa e apaixonada, mas apenas pela lei. Se fizer apenas isso, já poderemos dizer que a troca foi para muito melhor!

APLICATIVO DO MAL

As blitz do trânsito, para tirar do ar motoristas que ainda dirigem depois de terem ingerido bebida alcóolica, continuam pegando muita gente. Neste final de semana, teriam sido 30 pessoas detidas, por estarem nessa condição. Claro que há casos em que o sujeito bebeu apenas um drinque ou apenas uma cerveja, mas mesmo assim é proibido. E há aqueles que exageraram, estão trocando as pernas, não conseguem mais raciocinar ou enxergar claramente, de tanto que encheram a cara. Todos que são pegos, têm que sofrer as penalidades da lei. E seriam muito mais, caso não houve se espalhado como um raio, um aplicativo que denuncia aos motoristas onde as blitz são realizadas. A troca de informações pela internet orienta quem bebe a seguir por caminhos onde não há risco de serem apanhados pela rígida fiscalização. Não fosse isso, as ocorrências nos finais de semana poderiam até dobrar. Infelizmente, quem participa desses grupos, acha que está ajudando alguém. Claro que não está. Ajuda sim aos bêbados a manterem sob risco as vidas alheias. Lamentável!

UM EXEMPLO PARA O PAÍS

As boas notícias para a economia de Rondônia não param. A maior delas refere-se ao PIB do Estado. Fomos os que mais crescemos em toda a região norte, nos primeiros oito meses deste ano, com 1,4 por cento acima da inflação, um número pelo menos cinco vezes maior do que o pífio PIB esperado para o crescimento da economia brasileira. Obviamente, esse bom desempenho da economia do Estado se deve ao agronegócio, que vai de vento em popa, apesar de todos os esforços do governo federal para atrapalhar em tudo o que for possível. A outra notícia extremamente positiva, dentro do mesmo pacote, está ligado às nossas exportações. O faturamento nesse ano já chegou a 477 milhões de dólares, com 211 milhões de dólares de superávit, já que nossas importações foram de 266 milhões de dólares. Rondônia está dando um show de competência ao resto do Brasil. O Estado continua no azul, pagando suas contas rigorosamente em dia; pagando os salários do funcionalismo dentro do mês trabalho e ainda tem um PIB extremamente positivo, com exportações crescentes. Não é de a gente se orgulhar?

GRANA DE QUASE 30 ANOS

Quase três décadas depois, perto de dois mil técnicos em Educação vão encher os bolsos. Alguns receberão até 900 mil reais em precatórios, depois de ganharem uma ação que durou quase três décadas. Há os que receberão bem menos, mas todos vão ganhar. O dinheiro virá dos cofres da União e já estaria separado para cumprir as obrigações com precatórios que ficaram sendo jogados de um lado para o outro, no sistema Judiciário, até a decisão definitiva, a que não cabe mais recursos. O precatório já sofreu correção e passou pelos controles técnicos do Tribunal Regional do Trabalho e da Advocacia Geral da União, a AGU e tudo está pronto para ser pago, entre o início e o final de 2018, segundo comunicou aos seus associados o Sintero, em encontro dessa semana. No total, os técnicos receberão perto de 680 milhões de reais, daqueles sistemas legais dos famigerados “direitos adquiridos”, que de vez em quando alguém ganha e, sempre, o povo é quem paga.

CORAGEM EM VÃO

Um nome dos mais respeitados, que está aparentemente deixando a atividade política, ao menos desistindo de disputar eleições, é o do ex deputado estadual, ex federal, ex Senador, ex prefeito de Ji-Paraná e ex Governador José Bianco. Em três décadas, ele participou ativamente da vida pública rondoniense, tornando-se um dos nomes mais importantes no contexto da História recente desse Estado. Foi o único governador que teve a coragem de enfrentar uma das causas que derruba qualquer político desse país: o lobby do funcionalismo e dos “direitos adquiridos”. Bianco ofereceu várias oportunidades de demissão voluntária, para enxugar a máquina, tentando salvar as finanças do Estado. Depois, fez centenas de demissões. Seu sacrifício, já que teve sua brilhante carreira muito prejudicada por essa decisão, foi em vão. Anos depois, a Justiça reintegrou todos os demitidos. Tudo ficou como antes. Menos para Bianco. Atualmente, ele atua, com sucesso, na Federação das Indústrias do Estado, a Fiero.

O PSB SE FORTALECE

O ingresso de Chagas Neto no PSB, confirmado no último final de semana, pode representar apenas o primeiro dos nomes “quentes” que o partido apresentará para as eleições de 2018. Há fortes comentários de bastidores de que o próximo reforço dos socialistas, liderados no Estado por Mauro Nazif e pelo vice governador Daniel Pereira, será ninguém menos do que o governador Confúcio Moura. O ingresso de Confúcio na sigla ainda não tem qualquer confirmação oficial, nem dele e nem do comando do PSB. O problema é que se o Governador estiver pensando em trocar de casa para disputar o Senado, ele terá a mesma dificuldade caso decida deixar o PMDB e ingressar no novo partido. É que o PSB já tem um nome muito forte ao Senado: o do prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires, aliás, sempre parceiro de Confúcio, desde o primeiro mandato, mesmo os dois em partidos diferentes. O PSB também já tem candidato ao Governo: o empresário e senador Acir Gurgacz. O enredo político para 2018 começa a se desenhar, mas ainda sem um rumo concreto. Muita água ainda há de rolar, sob a ponte, até que todas as cartas estejam postas na mesa.

CORREDOR DE ÔNIBUS

Uma luz no fim do túnel para, ao menos amenizar a grave situação do pesado trânsito no centro de Porto Velho. A Prefeitura começou a asfaltar a rua Duque de Caxias, que será transformada num corredor de ônibus, tirando todos os coletivos tanto da avenida Carlos Gomes como da Calama e outras artérias importantes que ligam à zona central da cidade. Primeiro, foi feito o alargamento da via, que demorou um pouco mais do que o esperado por causa das ligações totalmente ilegais de esgoto à canalização pluvial. A partir do final da semana, começou a fase de colocação da primeira camada do asfaltamento. Nos próximos dias, uma nova camada será colocada, transformando a pista e dando a ela condições de receber o trânsito pesado dos coletivos. Os comerciantes da rua também andam comemorando, já que o movimento por ali deve dar um salto de grande tamanho, em breve. A ideia de usar a Duque de Caxias como corredor de ônibus é antiga, mas nunca foi colocada em prática. Logo que assumiu a Prefeitura, Hildon Chaves comprou a briga e executou o trabalho. Vamos ver agora os resultados na prática. Na teoria, eles parecem extremamente positivos.

PERGUNTINHA

Dá ainda para acreditar na seriedade e nos resultados de campo do futebol brasileiro, depois que as arbitragens cometem erros grosseiros, incluindo validar gol com a mão, como ocorreu no jogo entre Corinthians e Vasco?

Fonte: Sérgio Pires

Publicidade

ASSFAPOM - Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia

Publicidade

Conveniência Liberdade em Porto Velho

Publicidade

Gurjão Santiago Kikuchi Advogados Associados

Publicidade

BOCA ROSA – Curso de Maquiagem PROFISSIONAL

Publicidade

3D Store - O estilo que você precisa!

Publicidade

O tal do Espetinho

Publicidade

Aggio Climatização