Siga

Publicidade

A Atual Sistemas é uma empresa de software e prestação de serviços de automação e gerenciamento comercial.


Política

Pastor Aluízio lidera pesquisa ao senado na capital. Expedito ganha fácil no estado

Se a eleição ao Senado fosse hoje e só Porto Velho decidisse, quem seriam os eleitos? Numa dessas pesquisas científicas, mas não oficiais, porque feitas para consumo interno por um grande partido, o preferido do eleitorado seria certamente uma grande surpresa: ninguém menos do que o professor e pastor Aluízio Vidal, hoje na Rede, o partido de Marina Silva. Isso mesmo. O segundo seria Expedito Júnior. Claro que em todo o Estado o quadro muda muito. Expedito ganha em todas as pesquisas para o Senado, em qualquer região do Estado. Na mais recente, ele fechou com 68 por cento da preferência do eleitorado. Ou seja, mesmo pressionado para ser eventualmente candidato à sucessão de Confúcio Moura, Expedito deve ir mesmo na direção de retomar sua cadeira como Senador de Rondônia. Aparecem bem na pesquisa ao Senado, também, tanto o próprio Confúcio Moura quanto Valdir Raupp, que tenta mais uma reeleição. Outro muito bem cotado entre o eleitorado, é o do o prefeito da Capital, Hildon Chaves. Pelos números atuais (e isso vale para toda a pesquisa, porque ela é apenas um retrato desse momento), se a eleição fosse hoje, Hildon teria boa chance na disputa tanto o Senado quanto o Governo. Ainda entre outros que poderão estar na corrida eleitoral em 2018, deve-se registrar que a pesquisa destacou o nome do “Promotor Héverton” (trata-se do Procurador Héverton Aguiar), que começa a aparecer positivamente.

Expedito é conhecido em todo o Estado e é campeão de votos em toda a região. A mesma pesquisa a que esse colunista teve acesso, também o colocaria no segundo turno, caso concorresse ao Governo. Só Ivo Cassol está na frente dele. Sempre lembrando que a pesquisa é um retrato do momento, numa eleição ao Governo, pelos números atuais, Cassol e Expedito disputariam o segundo turno. Mas, é claro, dificilmente isso ocorrerá. O PSDB está mais propenso a pensar numa dobradinha diferente, tipo Héverton Aguiar ao Governo e Expedito ao Senado, do que qualquer outra opção. Mas é sempre bom lembrar que há outros nomes de peso na disputa, tanto ao Governo quanto ao Senado. Acir Gurgacz e Maurão de Carvalho, por exemplo, vêm com tudo para a corrida ao Palácio CPA/Rio Madeira. E ambos aparecem bem também em todas as pesquisas. A corrida, em 2018, será sem dúvida sensacional!

O EFEITO ALUÍZIO VIDAL

Aluízio Vidal foi candidato a prefeito de Porto Velho pelo nanico PSOL, em 2012. Apareceu como uma novidade na política e mesmo sem qualquer estrutura, apoio financeiro ou coligações, fez nada menos do que 12.330 votos. Dois anos depois, em 2014, ainda com as mínimas condições e contando apenas com o horário eleitoral gratuito, entrevistas na mídia e debates, o então representante do PSOL fez uma votação expressiva: 77.865 votos, uma grande surpresa, para quem disputava sem quase nada de estrutura. E ainda concorria com pesos pesados da política, como Acir Gurgacz (o eleito, com 312.614 votos). Moreira Mendes, o segundo, com 193.184 e dona Ivone Cassol, esposa do ex governador e hoje senador Ivo Cassol, que teve 160.964 votos. Pouco depois, Aluízio Vidal anunciou que abandonaria a política. Rompeu com seu partido e voltou às suas atividades normais. Pouco depois, contudo, foi convencido a repensar. E acabou aceitando o convite para participar do partido de Marina Silva, a Rede, por onde disputará novamente uma vaga ao Senado. Se dependesse só de Porto Velho, segundo a pesquisa, ele estaria eleito…

O EFEITO MARIANA

Mariana Carvalho seria o nome mais quente do PSDB, para a disputa ao Governo, depois que Expedito praticamente já decidiu pelos caminhos do Senado. O problema da jovem deputada é que ela não pensa nessa possibilidade, mesmo com todas as pressões que têm sofrido. Praticamente todas as ações de Mariana têm sido direcionadas na estrada que pode levá-la a um segundo mandato à Câmara Federal. A estratégia dela, ao que parece, será a de repetir o que ocorreu na última eleição municipal. Ela esperou até a 25ª hora para anunciar que não disputaria a sucessão de Mauro Nazif, alegando que considerava ter uma importante missão a cumprir, como representante rondoniense, junto ao Congresso Nacional. Com a desistência, surgiu no cenário político o então “cara nova” Hildon Chaves, que acabou levando a eleição e com folga. É sempre bom lembrar que as pressões sobre a deputada, ainda jovem, são muito fortes, para que ela se decida por concorrer à sucessão de Confúcio Moura, mas, ao menos até agora, ela tem se mostrado resistente. Mariana não vê, por enquanto, qualquer possibilidade de concorrer ao Governo. Isso, é claro, pode mudar, mas à frente.

A BUSCA PELA REELEIÇÃO

Ainda sobre as eleições do ano que vem, qual a situação dos oitos membros da bancada rondoniense na Câmara Federal? Ao menos até agora, destacando o caso de Mariana Carvalho, que anda sendo pressionada pelo tucanato para ser candidata ao Governo, a tendência é que todos tentem a reeleição. O projeto já foi confirmado por Marinha Raupp, Lindomar Garçon, Expedito Netto, Nilton Capixaba e Lúcio Mosquini. Marcos Rogério deve seguir no mesmo rumo, embora seus olhos brilhem quando se fala que ele teria chance de conseguir uma vaga ao Senado. Mais adiante, contudo, a tendência é que ele se mantenha com a disposição de buscar mais um mandato. O nome que ficou para a análise final é o do deputado Luiz Cláudio, que também tem feito um mandato dos mais elogiáveis, principalmente por sua dedicação às causas do produtor rural e do agronegócio. Luiz Cláudio é muito ligado a Ivo Cassol, por isso pode-se até pensar em outras possibilidades para ele. Por enquanto, contudo, Luiz Cláudio continua candidatíssimo à reeleição.

MAIS UMA BOMBA

Os números ainda estão sendo levantados, mas os que já se conhecem, são extremamente preocupantes. Um estudo que está sendo feito em órgãos públicos aponta para um número absurdo de servidores que não comparecem ao trabalho e outros tantos que não estão cumprindo suas funções. É coisa de arrepiar os cabelos. Ainda não se pode dar mais detalhes, porque o trabalho vem sendo realizado dentro do sigilo e dos cuidados que a ação exige, até para que não se cometam injustiças. Mas pelo que se ouviu nos bastidores, há casos de setores em que metade dos servidores não estariam trabalhando. Pelos lados do Governo, ninguém confirma nada, ainda. Mas o assunto está andando e em breve vai explodir como uma bomba, quando as informações oficiais chegarem ao público. Por enquanto, é claro, as informações assustadoras são guardados a sete chaves. Mas virão à tona, sem dúvida.

FOGO: DESRESPEITO E IMPUNIDADE

A irresponsabilidade e o desrespeito, somando-se à falta de fiscalização eficiente e de punições exemplares, continuam colocando Porto Velho entre as cidades que mais registram queimadas, em todo o país. É uma vergonha. Em vários dias, nos últimos 30, principalmente, a Capital rondoniense amanheceu e passou várias horas sob intensa fumaça, como se aqui fosse terra de ninguém e cada um pudesse fazer o que quiser, sem se preocupar com quem quer que seja. Só no mês de Agosto, a cidade registrou absurdos 4.287 focos de incêndio, contra quase 1.700 apenas nos primeiros oito dias de setembro. Não fosse um pouco de chuva que caiu em Porto Velho em alguns dos últimos dias, a cidade estará vivendo um inferno ainda pior. Todo o ano é a mesma ladainha. Gasta-se dinheiro com campanhas de esclarecimento; perde-se tempo falando que é necessário educar os produtores, para que eles não façam queimadas e o resultado é sempre o mesmo: pífio. Enquanto não houver fiscalização duríssima, enquanto não houve punição exemplar; enquanto as multas aplicadas continuarem sendo perdoadas pouco tempo depois, vai continuar a mesma catilinária de sempre, sem solução alguma. Lamentável!

NOTICIÁRIO FACCIOSO

Meia dúzia de gatos pingados, com uma faixa “Fora Temer”, tentou criar um factoide no belo desfile do Dia da Independência em Porto Velho, que, aliás, foi um grande sucesso, mesmo com a grande chuva que caiu do meio para o final das apresentações. A mídia, principalmente a ligada à Rede Globo, não teve vergonha de noticiar que “houve protestos em todo o país, contra o Presidente Temer”, como se a movimentação que nunca passou de alguns grupelhos (em São Paulo, a emissora chegou a falar em 15 mil pessoas, num aglomerado que jamais passaria de mil), fosse algo que merecesse alguma importância, afora aquela que ia ao encontro dos interesses da poderosa emissora. Que, aliás, mudou a forma de se fazer notícia no país. Para muito pior, é claro, por causa da forma facciosa como tem atuado nos episódios da Lava Jato e do envolvimento da turma palaciana. A Globo quer derrubar Temer de qualquer jeito. Mesmo que tenha que inventar notícias e criar multidões onde elas jamais existiram. Uma coisa esdrúxula!

PERGUNTINHA

Qual será o ex assessor direto, o ex ministro, o ex colaborador ou o ex amigo dos Presidentes Lula e Dilma, que vai abrir o bico e contar tudo o que sabe sobre roubalheira, nessa semana que começa?

Por Sérgio Pires

comentários

Publicidade

3D Store - O estilo que você precisa!

Publicidade

Conveniência Liberdade em Porto Velho

Publicidade

ASSFAPOM - Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia

Publicidade

Aggio Climatização

Mais em Política