Siga
Grupo KES - Curso de Formação de Bombeiro Civil
Após sorteio de endereços, Futuros moradores do Cristal da Calama vão vistoriar imóveis


Rondônia

Após sorteio de endereços, Futuros moradores do Cristal da Calama vão vistoriar imóveis

Cerca de três mil pessoas se aglomeraram, nesta terça-feira(27), na sede do sindicato dos servidores da prefeitura da capital, no bairro Tiradentes, para participar do sorteio dos endereços dos imóveis dos residenciais Cristal da Calama I e II. O resultado não gerou grandes expectativas, uma vez que os contemplados já sabiam que podem contar com as moradias.

No total, 2.941 candidatos foram selecionados para receber unidades habitacionais, mas apenas 1.763 estavam aptos para participar do sorteio dos endereços dos imóveis e muitos foram acompanhados dos familiares. Significa que, agora, já sabem em qual imóvel irão morar. Os 1.178 restantes precisam resolver as pendências relacionadas a documentos para ter acesso ao direito.

A próxima etapa antes da ocupação das moradias é mais simples. Cada mutuário definiu o dia em que visitará o imóvel e fará uma vistoria. É nesta ocasião que apontará eventuais problemas e pedirá correção. Após isto, o contrato é assinado e ele fica aguardando o dia da entrega.

PRAZOS

Vilma Alves, secretária adjunta da Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas) evitou falar em prazo para a entrega dos imóveis, apesar da expectativa dos contemplados. Segundo ela, há fatores a serem considerados e um deles envolve os futuros mutuários, que devem cumprir a parte que lhes cabe no tempo devido.

O governador Confúcio Moura, a quem Vilma representou no evento, segundo ela própria tem compromisso em amenizar o déficit habitacional nos município e, especialmente, em Porto Velho.

A secretária destacou que Confúcio envolveu-se na obtenção de meios para construir imóveis para a população de baixa renda. “E dignidade é ter sua própria casa, é ter um espaço para reunir a família”, acrescentou.

Como o momento estava reservado apenas para cada mutuário saber onde vai morar, houve pouca comemoração. Mas após participar do sorteio e assinar a ata do evento, houve quem se emocionasse. Entre estes, estava Maria da Graça Oliveira Sousa, como “s” mesmo, como ela explicou. “Agora, sim, tenho meu próprio cantinho”, disse com voz embargada.

Maria da Graça mora com o filho, um policial militar que atua no município de Buritis e passa poucos dias na capital. “Somos apenas nós dois, mas ainda vivemos numa casa cedida por um garimpeiro”, relatou. O imóvel, segundo ela é simples e fica nos fundos de uma casa maior, no bairro São Francisco.

Para Floriza Sales, a casa própria , a primeira de sua vida, tem significado especial. Ela paga aluguel por uma pequena moradia, onde vive com o filho Adrik Sales, de 18 anos. Aposentada, vê parte do dinheiro “sumir” após quitar o aluguel e espera por melhores dias. Adrik também faz as contas. Acredita que com a sobra na renda poderá pensar em “fazer faculdade”. “Acho que agora vai”, disse diante do olhar confiante da mãe.

O aposentado Salvador Costa, aos 69 anos, tem outros planos. No primeiro imóvel próprio, acha que vai poder namorar mais tranquilo. “Pago R$ 250 de aluguel. Vai sobrar dinheiro”, acredita para “uma diversão”.

Salvador viu as casa do Cristal da Calama e já tem opinião formada sobra a futura moradia. “São muito bonitas, confortáveis. Gostei muito”, afirmou.

INVESTIMENTOS

Só o residencial Cristal da Calama, com as quase três mil unidades, envolve gastos que superam R$ 14 milhões. A contrapartida do governo estadual é de R$ 14 milhões. A participação na construção de habitações em todo o estado ultrapassa R$ 197 milhoes.

Por cada imóvel, o usuário pagará prestações de R$ 80 a R$ 270, conforme a renda apresentada no momento do cadastro.

A Prefeitura da capital também tem participação no programa. E, segundo o prefeito Hildon Chaves, fará sua parte. Entre as obrigações do município estão o asfaltamento e sinalização interna, além do acolhimento das famílias.

Um representante da Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd) explicou que as pessoas que têm pendências com a empresa podem parcelar os débitos em até 12 vezes, sem juros para assinar contrato para ter água encanada. Ele também deixou claro que a tarifa social, oferecida para um determinado perfil de usuário, está disponível.

Fonte: Secom

comentários

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

3D Store - O estilo que você precisa!

Publicidade

ASSFAPOM - Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia

Publicidade

Home Help Reparos e Soluções!

Publicidade

Aggio Climatização

Mais em Rondônia