Siga
Grupo KES - Curso de Formação de Bombeiro Civil


Trilhando a História

A Catedral do Coração da Amazônia

Catedral Sagrado Coração de Jesus – Porto Velho
Em 1600, os Jesuítas começaram a evangelizar as aldeias ao longo do Rio Madeira: o Pe. João Sampaio foi o grande apóstolo. No fim de 1700, apareceram nesta região os Padres Diocesanos e também Carmelitas e Franciscanos. A região pertencia a jurisdição do bispo do Pará. Em 1872, iniciou-se a construção da Ferrovia Madeira-Mamoré, dando começo aos primeiros povoados na área. Em 5 de setembro de 1850 foi criada a Província do Amazonas pela Lei n° 382, assinada por D. Pedro I.
Início da construção – Porto Velho – Rondônia
Em 27 de abril de 1892 foi instituído o Bispado de Manaus, pelo Papa Leão XIII, com a bula AD UNIVERSAS ORBIS ECCLESIAS, desmembrado da Diocese de Belém do Grão-Pará. A Vila de Porto Velho, à margem direita do Rio Madeira, no início do século XX, tinha pouco mais de 500 habitantes. Em 02 de outubro de 1914 foi elevada à Município pela lei n° 757, assinada pelo governador Jonathas Freitas Pedrosa, do Amazonas.
Em 1917 o Pastor Miles oficiava o culto num barracão da Companhia Madeira-Mamoré Railway. Nesse período (1917-1918) a diretoria da CMMR comunicava os dias de feriados da Semana Santa, de S. Pedro e outros.
vitrais da Catedral – Porto Velho
No dia 03 de maio de 1917 foi abençoada a primeira pedra da futura Catedral. Em 1° de maio de 1925, o Papa Pio XI criou a Prelazia Nullius de Porto Velho, pela Bula INTER NOSTRI, nomeando Dom Pedro Massa, Salesiano, conduzido esta Igreja até 1982. Dom João cuidou desta Catedral como a pupila dos olhos, embelezando-a e enriquecendo-a.
A história da Catedral Sagrado Coração de Jesus, localizada à Rua D. Pedro II, Praça Padre João Nicoletti no centro de Porto Velho, começa a partir de 1927, quando alguns padres salesianos iniciaram a sua construção, tendo o próprio Padre João Nicoletti, em 1928 iniciado a ampliação da igreja. Para se ter uma idéia, o tijolo foi feito no mesmo local, as telhas vieram de Belém-PA, a madeira tirada daqui mesmo. A população de Porto Velho, desde o início colaborou muito, em clima de mutirão.
Na verdade houve a construção de uma primeira Capela, iniciada no dia da Assunção de 1921 e inaugurada em 7 de setembro de 1922. Ficava no lugar onde está localizado o Palácio do Governo de Rondônia. Mas não resistiu a uma tempestade e desmoronou. Daí se escolheu outro lugar mais distante em terreno firme.
O projeto era do engenheiro Francisco Alves Erse, o mestre de obras chamava-se José Ribeiro de Souza Junior. O responsável pela construção da Cúpula da Catedral veio da localidade de Humaitá-AM, o senhor Mestre de Obras Crisóstomo Nina Palitot. Era uma construção sólida, retangular, com as paredes em alvenaria, tendo as mesmas espessuras de meio metro. A fachada era imponente. A construção estendeu-se numa área total de 200 metros quadrados.
Em 1940, o artista ebanista, Pedro Renda, português, decorou o teto em madeira esculpida e pintada (estilo cassettone), constituindo-se, ainda hoje, em um monumento de arte. O estilo da Catedral começava a ser definido: clássico-romântico-colonial. Assim, com pinturas em sua paredes, o templo recebeu pelas mãos dos padres Ângelo Cerri e Francisco Pucci, um toque de arte. O primeiro, argentino, salesiano, artista plástico, ampliou o presbistério (1955), levantou a abóboda, pintou vários afrescos, alguns diretamente nas paredes inferiores.
Fachada

É em estilo romântico colonial, com duas torres simétricas cujas agulhas alcançam o ponto mais alto do templo (35m). Em cima da entrada principal há uma sacada com quatro colunas. A parte central foi construída em 1929 pelo Pe. João Nicoletti. As torres em 1944 pelo Pe. Ângelo Cerri. Na parte mais alta do centro da fachada há uma artística estátua do Sagrado Coração em bronze fundido, do século XVIII, proveniente da França.
Os Sinos
Erguidas as duas torres campanárias (1944), era necessário dota-las de sinos. O Sr. Aluísio Pinheiro Ferreira, governador da época do Território do Guaporé, presenteou a Igreja com quatro sinos fundidos em São Paulo. A altura do sino maior é 1.80m, pesando duas toneladas.
Vitrais da Catedral
As famílias da cidade de Porto Velho, doaram os vitrais historiados, confeccionados em São Paulo-SP, pelos artistas da empresa ZUCCA CIA, em 1963. Filtram luzes em cores, criando um clima de misticismo. Cobrem uma área de 147m². Os vitrais são me vidros fundidos e rejuntados com chumbo. As decorações em torno dos vitrais reproduzem linhas góticas, com arco em triângulo isósceles. As partes inferiores reproduzem desenhos simétricos e decorações de símbolos da tradição religiosa.
Em 24 de maio de 1978, o Núncio Apostólico Dom Cármine Rocco, presidiu a cerimônia de consagração do templo.
Em 1986, é levantado o altar basilical em mármore nacional. Ao lado do altar, no chão, encontra-se o túmulo do Pe. João Nicoletti, construtor da Igreja.
Aleks Palitot
Historiador

comentários

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

3D Store - O estilo que você precisa!


Deputado Jesuíno Boabaid

Publicidade

ASSFAPOM - Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia

Publicidade

Home Help Reparos e Soluções!

Publicidade

Aggio Climatização

Mais em Trilhando a História