Notícias de Brasil

Moradores invadem abrigo em Roraima e expulsam imigrantes venezuelanos


Postado em 20/03/2018 às 16h20min

Moradores invadem abrigo em Roraima e expulsam imigrantes venezuelanos

Uma manifestação contra a morte de um brasileiro no município de Mucajaí, a 50 quilômetros de Boa Vista, capital de Roraima, quase se transformou em tragédia na segunda-feira 19. Mais de 300 pessoas invadiram uma escola, onde funcionava um abrigo improvisado para cerca de 50 famílias venezuelanas, e expulsaram os imigrantes do local. Eles também jogaram móveis, roupas e objetos dos venezuelanos na rua e atearam fogo. Os imigrantes, entre eles, mulheres e crianças foram expulsos da cidade.

Não houve registro de mortos ou feridos durante a confusão generalizada, segundo a Polícia Militar.

O grupo interditou por mais de duas horas, o trecho urbano da principal rodovia da cidade, a BR-174, que liga Roraima ao Amazonas, com barricadas feitas de paus e pedras, além de pneus queimados.

A manifestação começou durante o enterro do brasileiro Eulis Marinho de Sousa, 49, morto a pauladas em uma briga de bar envolvendo venezuelanos.

O morador Jonas Vieira, em conversa com a reportagem, explicou que a população estava revoltada com a migração venezuelana no local.

“Eles provocam vandalismo, brigas e andam nas ruas armados de facões. Muitos deles têm invadido casas para cometer crimes diversos e agora um de nós foi morto. A situação está insuportável pois ninguém toma providências”.

Outro líder do grupo, o pastor João Batista, reclamou dos imigrantes na cidade. “Não aguentamos mais a presença deles. Queremos que as autoridades façam alguma coisa. Há muitos roubos e furtos em nossa cidade”, afirmou.

A estimativa é de que mais de 40 mil venezuelanos tenham chegado a Roraima, após a crise econômica na Venezuelana. O número chega a 10% da população do Estado.

Outros casos

Em fevereiro, dois incêndios com três dias de diferença no bairro Mecejana, na zona oeste de Boa Vista, deixaram ao menos cinco venezuelanos feridos, incluindo uma criança de três anos.

No primeiro caso, um homem e uma mulher foram atingidos pelo fogo enquanto dormiam na madrugada do dia 5. O segundo ataque deixou feridos uma menina de 3 anos e seus pais, que dormiam no quarto de uma casa onde vivem 13 venezuelanos – 7 adultos e 6 criançasA polícia civil de Roraima prendeu o guianense Gordon Fowler, de 42 anos, acusado de ser o responsável pelos dois ataques. Ouvido pela polícia, ele disse que “não se arrepende do que fez”, mas que não “pretendia ferir mulheres e crianças”.

Fowler vivia em Boa Vista há dois anos, mas não tinha residência fixa. A polícia afirmou que ele atuou “por vingança” contra os venezuelanos depois de ter uma bicicleta roubada e ser agredido por imigrantes do país vizinho.

Ele foi autuado em flagrante por tripla tentativa de homicídio qualificado por motivo torpe e uso de recurso que dificultou a defesa das vítimas, que estavam dormindo no momento dos ataques.

Fonte: Estadão



MAIS NOTÍCIAS DE Brasil