Siga

Brasil

Servidor público é preso por estupros em asilo

Sebastião Barros Nogueira, 48 anos, é acusado de violentar pelo menos três mulheres. Polícia Civil do Goiás apura outras vítimas

Depois de quase duas semanas de investigação, a Polícia Civil de Goiás (PCGO) prendeu um servidor público da prefeitura de Planaltina (GO) por abuso sexual de pelo menos três mulheres com deficiência mental em um asilo da região. Segundo informações do delegado Bruno Ramos, responsável pelo caso, Sebastião Barros Nogueira, 48 anos, trabalhava no local desde 2014. A Polícia Civil procura novas vítimas.

Sebastião era vigilante no asilo e aproveitava a noite para abusar das pacientes. O caso chegou à polícia por meio de uma denúncia anônima feita à Corregedoria da Guarda Municipal da cidade. No primeiro momento, a ocorrência incluía apenas uma vítima, uma senhora de 64 anos. Mas os policias descobriram outras duas e apuram a existência de mais casos.

Siga nossa Fanpage ► JH Notícias
Siga nosso Instagram ► JH Notícias

“Já fizemos o corpo de delito das três mulheres e aguardamos o resultado. Mas as câmeras mostram que os crimes aconteceram. O Sebastião, entretanto, nega tudo”, destaca Ramos. Conforme o delegado, as vítimas são pacientes com deficiência mental. A senhora de 64 anos e as outras duas entre 30 e 40 anos.

A prefeitura informou que, devido à acusação, Sebastião foi afastado do cargo. Além disso, há um processo administrativo (PAD) aberto contra ele.

O PAD poderá se tornar criminal se os abusos forem confirmados. De acordo Sebastião é servidor público desde 1995 e estava prestes a se aposentar. O Metrópoles entrou em contato com os coordenadores do asilo, mas eles não quiseram comentar o caso.

VEJA TAMBÉM:
– IFRO abre inscrições para 2.438 vagas em Rondônia
– SUSTO – Mulher vai abrir a janela do quarto e encontra cobra jibóia escondida
– Chamada de gostosa em plenário, deputada reclama de machismo na Câmara

A prisão por estupros em asilo

Sebastião foi detido na última quinta-feira (5/10), quando foi levado para a Cadeia Pública de Planaltina (GO). Ele foi autuado por estupro de vulnerável e pode pegar até 14 anos de prisão.

Fonte: Metropoles

Publicidade

ASSFAPOM - Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia

Publicidade

Conveniência Liberdade em Porto Velho

Publicidade

Gurjão Santiago Kikuchi Advogados Associados

Mil Contabilidade

Publicidade

BOCA ROSA – Curso de Maquiagem PROFISSIONAL

Publicidade

3D Store - O estilo que você precisa!

Publicidade