Notícias de Justiça

INJÚRIA – Professor da UNIR pode responder na Justiça por chamar vereadora executada de “marmita de traficante”

Representantes do Poder Judiciário alertaram em redes de televisão sobre os riscos que muitas pessoas vem correndo em compartilhar informações falsas na rede, o próprio Facebook se comprometeu publicamente a combater o fake news.


Postado em 20/03/2018 às 17h11min • Atualizado 17h12min

INJÚRIA – Professor da UNIR pode responder na Justiça por chamar vereadora executada de “marmita de traficante”

Alvo de um feroz ataque por parte de “haters” nas redes sociais através de informações “fakes”, a vereadora Mariele (PSOL/RJ), executada em pleno exercício do mandato nesta última semana, permanece sendo vítimas de difamações e injúrias na internet.

Na tentativa de resguardar a família de Mariele em um momento tão delicado de luto e valorizar seu histórico dentro dos movimentos sociais nos meios em que atuava militantemente, um grupo de advogados e sociedade civil organizada, está coletando as publicações que passam do limite da opinião e agridem a integridade da vereadora, encaminhado ao departamento jurídico do partido de Mariele no Rio de Janeiro, isso para que os autores das publicações respondam juridicamente pelas informações expostas de forma pública.

No estado de Rondônia, um professor titulado Doutor da Universidade Federal de Rondônia – UNIR, poderá ser um dos “haters” que deverão se justificar na justiça e provar as acusações feitas contra Mariele. Trata-se de Fabrício Moraes de Almeida, que recentemente publicou em seu Facebook que a vereadora era “marmita de traficante”, isso em clara alusão ao contexto sexual.

O Doutor professor também afirmou em seu perfil público que a vereadora era integrante da facção criminosa Comando Vermelho, sendo eleito por esses criminosos. Todas graves e sérias acusações, que caso as movimentações dos advogados de Mariele se confirmem, deverão ser esclarecidas à luz da Justiça.

Representantes do Poder Judiciário alertaram em redes de televisão sobre os riscos que muitas pessoas vem correndo em compartilhar informações falsas na rede, o próprio Facebook se comprometeu publicamente a combater o fake news.

Fonte: JH Notícias

 



MAIS NOTÍCIAS DE Justiça