Siga
Grupo de ajuda médica fala em 100 mortos por suposto ataque químico na Síria 03

Mundo

Grupo de ajuda médica fala em 100 mortos por suposto ataque químico na Síria

É provável que o número de mortes aumente, de acordo com a União das Organizações de Cuidados Médicos.

Os supostos ataques químicos mataram ao menos 100 pessoas na província síria de Idlib, controlada por rebeldes, nesta terça-feira (4) e deixaram outros 400 sofrendo de problemas respiratórios, informou um grupo de assistência médica na Síria.

É provável que o número de mortes aumente, de acordo com a União das Organizações de Cuidados Médicos, uma coalizão de agências internacionais de socorro que ajuda hospitais na Síria e que é parcialmente baseada em Paris.

Os ataques aconteceram na cidade de Khan Sheikhoun, no sul de Idlib.

Grupo de ajuda médica fala em 100 mortos por suposto ataque químico na Síria 03

Membro da proteção civil respira com máscara de oxigênio após suposto ataque de gás na cidade de Khan Sheikhoun, na província de Idlib, controlada por rebeldes (Foto: Ammar Abdullah/Reuters)

“Nós vimos mais de 40 ataques desde 06h30”, informou o grupo. “O número de mortes continua a crescer, assim como o número de ataques na região de Idlib e assim como os ataques não químicos em Hama”, disse o grupo.

Publicidade

Armas químicas

O governo sírio negou em muitas oportunidades o uso de armas químicas em uma guerra que já provocou mais de 320 mil mortes desde março de 2011.

Mas as alegações de que Damasco utiliza este tipo de armamento são recorrentes e uma investigação liderada pela ONU atribuiu ao regime pelo menos três ataques com gás cloro em 2014 e 2015. Em março de 2015, duas cidades na província da província Idleb foram alvos dos ataques. A Síria ratificou a Convenção sobre a Proibição de Armas Químicas em 2013.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), que tem sede na Grã-Bretanha e conta com uma ampla rede de fontes na Síria, não soube informar se os bombardeios foram executados por aviões das Forças Armadas sírias ou da Rússia, aliada do regime de Damasco.

ONU

As autoridades francesas solicitaram nesta terça-feira (4) uma reunião urgente do Conselho de Segurança das Nações Unidas pelo suposto ataque químico contra a cidade síria de Khan Sheikhoun, na província setentrional de Idlib.

“O uso de armas químicas constitui uma violação inaceitável da Convenção sobre a Proibição de Armas Químicas e um novo reflexo da barbárie da qual a população síria é vítima há tantos anos”, declarou o ministro francês das Relações Exteriores, Jean-Marc Ayrault, em comunicado.

Grupo de ajuda médica fala em 100 mortos por suposto ataque químico na Síria 03

‘O uso de armas químicas constitui uma violação inaceitável’, declarou o ministro francês das Relações Exteriores, Jean-Marc Ayrault (Foto: Aaron P. Bernstein/Reuters)

Fonte: Reuters

Publicidade

ASSFAPOM - Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia

Publicidade

Conveniência Liberdade em Porto Velho

Publicidade

Gurjão Santiago Kikuchi Advogados Associados

Mil Contabilidade

Publicidade

BOCA ROSA – Curso de Maquiagem PROFISSIONAL

Publicidade

3D Store - O estilo que você precisa!

Publicidade