Notícias de Política

Aleks Palitot discute mobilidade urbana e ciclovias para a capital

Segundo encontro acontecerá em 15 dias na Secretaria Municipal de Planejamento

Postado em 22/11/2018 às 12h17min • Atualizado 12h18min


Aleks Palitot discute mobilidade urbana e ciclovias para a capital
@Assessoria

Na última quarta-feira, o Professor Aleks Palitot realizou no plenarinho da Câmara de Vereadores de Porto Velho, uma reunião com representantes da Secretaria Municipal de Trânsito (Semtran), Secretária Municipal de Planejamento (Sempog), Departamento de Planejamento Institucional e Gestão Estratégica (DPGE) Federação de Ciclistas do Estado (Fecro) para discutir mobilidade urbana na capital.

De acordo com o Professor Aleks Palitot, o objetivo do encontro é recolher informações junto à população para a elaboração de diretrizes que possam ser inseridas na revisão do Plano Diretor de nossa capital”, afirmou o vereador.

Aleks Palitot discute mobilidade urbana e ciclovias para a capital

@Assessoria

O grande questionamento se refere a utilização de um modelo já existente que possa ser adaptado à realidade de Porto Velho na elaboração desse projeto de ciclovias. Durante a reunião ciclistas presentes lembraram o modelo utilizado pelo Estado de São Paulo e implementado na Avenida Paulista aos fins de semana, onde a via é fechada para carros.

Construção

Segundo Palitot, “são apenas sugestões, uma vez que estamos construindo juntos um modelo. O que é importante é termos o apoio dos usuários diretos deste benefício. O que temos pactuado ate o momento, e que foi resultado de discussões é que um modelo de êxito seria parecido com o de Bogotá, onde se parte do centro para os bairros, fazendo a interligação da cidade”, explica o professor.

Aleks Palitot discute mobilidade urbana e ciclovias para a capital

@Assessoria

Segundo dados apresentados durante encontro com ciclistas, a média de deslocamento das pessoas na capital é de seis quilômetros. As ciclovias seriam um modal de transporte rápido e barato que pode desafogar o trânsito nas principais vias, principalmente nos horários de maior fluxo.

“Temos que despertar no munícipe esse sentimento de pertencimento. É fundamental trazer a população para estas discussões assim como é necessário também a participação da iniciativa privada, pois a cidade cresceu e há novas oportunidades o que faz urgente a discussão da mobilidade urbana”, afirma o Presidente da Federação de Ciclismo.

Por Assessoria