Notícias de Política

Bolsonaro comemora prisão do Battisti: “Companheiro do PT”

Postado em 13/01/2019 às 12h44min


Bolsonaro comemora prisão do Battisti: “Companheiro do PT”
Brasília(DF), 06/11/2018 - Sessão do Congresso Nacional em comemoração aos 30 anos da Constituição - Na foto Jair Bolsonaro - Foto: Daniel Ferreira/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) comemorou no seu Twitter a captura do terrorista italiano Cesare Battisti, preso no último sábado (12/1), na Bolívia. O político parabenizou os “responsáveis pela captura” do foragido da polícia brasileira.

“Parabéns aos responsáveis pela captura do terrorista Cesare Battisti!”, disse na manhã deste domingo (13/1).

Na sequência, Bolsonaro associou o italiano ao Partido dos Trabalhadores (PT). No último ato do seu governo, em 2010, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu que ele poderia viver asilado no Brasil.

“Finalmente a justiça será feita ao assassino italiano e companheiro de ideiais de um dos governos mais corruptos que já existiram do mundo (PT)”, disse o presidente.

Parabéns aos responsáveis pela captura do terrorista Cesare Battisti! Finalmente a justiça será feita ao assassino italiano e companheiro de ideiais de um dos governos mais corruptos que já existiram do mundo (PT).

— Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 13 de janeiro de 2019

Foragido
Desde o dia 14 de dezembro, Battisti, de 64 anos, era considerado oficialmente foragido, já que descumpriu ordem de prisão do dia anterior. Foram realizadas mais de 30 ações pela PF para encontrá-lo, até então sem sucesso. Apenas neste domingo, exatamente um mês após a ordem de prisão, ele foi preso.

Battisti estava oficialmente asilado no Brasil desde 2010. A situação mudou, porém, no último dia 14 de dezembro, quando o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux determinou que a prisão poderia ser revogada. Na sequência, o então presidente Michel Temer (MDB) voltou atrás na decisão que permitia a ele viver no Brasil. Battisti, então, fugiu.

O italiano foi preso na cidade de Santa Cruz de La Sierra, uma da maiores da Bolívia. Não há detalhes, por ora, de como a investigação da Polícia Federal chegou até o foragido. Apesar de confirmar a informação da sua prisão, a PF não informou os próximos passos a serem tomados.

Por Metropoles