Notícias de Política

NA CAPITAL – Hildon pode se tornar o “vilão” dos taxistas e vetar táxi compartilhado

Sob forte pressão dos grupos contrários ao serviço, o prefeito terá que mostrar jogo de cintura para não desagradar os taxistas e nem os representantes do consórcio SIM, empresa responsável pelo transporte coletivo na capital e que acusa o táxi compartilhado de concorrência desleal.


Postado em 21/03/2018 às 10h56min

NA CAPITAL – Hildon pode se tornar o “vilão” dos taxistas e vetar táxi compartilhado

A Câmara de Porto Velho segue tomada pelos taxistas que buscam a autorização para o serviço do táxi compartilhado pela categoria, acampados no local, eles afirmam que apenas terminarão os protestos após o contra-projeto que regulamenta a atividade seja aprovada pelos legisladores do município.

O problema é que a proposta de regulamentação deve ser de iniciativa do Poder Executivo, deixando os vereadores de mãos atadas e aguardando o posicionamento do prefeito Hildon Chaves (PSDB), que esteve na Câmara nesta última terça-feira (20) onde afirmou que até quinta-feira (22) dará uma resposta sobre o caso.

Sob forte pressão dos grupos contrários ao serviço, o prefeito terá que mostrar jogo de cintura para não desagradar os taxistas e nem os representantes do consórcio SIM, empresa responsável pelo transporte coletivo na capital e que acusa o táxi compartilhado de concorrência desleal.

O fato é que o projeto de regulamentação dessa atividade já está pronto e na mesa do prefeito, porém o caso é delicado e mesmo mobilizando toda a categoria, nada garante que a decisão de Hildon será favorável aos taxistas, a situação pode ficar mais complicada ainda e o prefeito corre risco de ser tornar vilão dos taxistas.

De acordo com representantes do transporte coletivo na capital, o táxi compartilhado utiliza as rotas dos ônibus e alicia os passageiros, praticando suposta concorrência desleal, já os taxitas alegam que essa foi a alternativa encontrada para não perecerem perante aos aplicativos de transporte público como o UBER.

Fonte: JH Notícias



MAIS NOTÍCIAS DE Política