Search
Close this search box.

OPINIÃO E POLÍTICA – Mais uma vez governo Confúcio é apontado em esquema de arapongagem – Por João Paulo Prudêncio

João Paulo Prudêncio é jornalista e editor de política do jornal eletrônico JH Notícias e atua no jornalismo rondoniense há mais de dez anos. Informações e contato com a coluna através dos telefones: (69) 99230-0591 (Watssap) e (68) 99217-1709.
Publicidade

Grampolândia

O presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB), denunciou nesta terça-feira (6) que está sendo alvo de grampos ilegais promovidos com o intento de sujar sua imagem, isso em decorrência de sua declarada pré-candidatura ao governo do estado de Rondônia no pleito 2018.

Publicidade

Vazado

Durante a noite desta última segunda-feira (5), um suposto grampo apontando uma conversa entre o presidente da casa e o deputado Jesuíno Boabaid (PMN), expôs uma conversa dos parlamentares sobre a possibilidade de abertura de uma CPI contra o governador Confúcio Moura (PMDB), em decorrência de uma denuncia do deputado Hermínio Coelho (PSD), onde aponta um suposto esquema de pagamento indevido da ordem de R$ 30 milhões à empresa responsável pela obra da ponte na BR-364 que corta a cidade de Ji-Paraná.

O ataque 

O áudio vazou justamente no dia em que o governador Confúcio decidiu tomar às rédeas do governo novamente, exonerou os nomeados de seu vice, Daniel Pereira (PSB), e deixou correr o boato de que desistiria da corrida ao Senado. Tudo parecendo uma bem orquestrada movimentação política, que visava o cheque mate da candidatura de Maurão.

Problema

O fato é que o chefe da Casa Civil, e homem forte do governador, Emerson Castro (PMDB), foi o primeiro à falar sobre a suposta escuta, em sua rede social publicou que haviam provas de que os deputados estariam articulando contra Confúcio e em breve cairiam na rede. Fato que coloca o governado na condição de suspeito de ser responsável por promover uma escuta ilegal contra a maior autoridade legislativa do estado.

Informação 

Caso se confirme que o grampo partiu da Casa Civil a situação é grave, pois imagine quantas conversas privadas do legislativo se tornou de conhecimento do executivo estadual. O fato é que essa escuta colocou todos os deputados em face de vulnerabilidade, já que eventualmente todos podem estar na lista da Grampolândia.

Recorrente

Porém, essa não é a primeira vez que o governo Confúcio é denunciado de “xeretar” a vida alheia. O governador já foi acusado de utilizar o sistema GuardiãoWeb, comprado pela Secretaria de Segurança para ações de inteligência, para bisbilhotar desafetos políticos. Na época o Ministério Público se manifestou e abriu uma investigação que analisou todos os grampos feitos pela SESDEC entre 2012 e 2013, a suspeita é que números de interesse pessoal tenha sido enxertado em lista de investigados de outros crimes, uma ação criminosa conhecida como “barriga de aluguel”.

Dá cadeia

No Mato Grosso, uma situação semelhante levou secretários e funcionários do alto escalão do governo à prisão, isso após ficar constatado que eles haviam participado de um grande esquema de arapongagem que envolvem inclusive a Casa Civil. O caso é grave e caso o exemplo do estado vizinho seja seguido, Emerson Castro e outros integrantes fortes do governo deverão ser intimados pela Polícia Federal para prestarem esclarecimentos.

A CPI 

O fato é que a CPI tem que ser aberta sim! As provas apresentadas por Hermínio Coelho são mais que suficientes e essa gravação pode servir como a lenha que faltava para que os deputados ingressem com todo vapor nesse processo que pode terminar em cadeia para os envolvidos e perda do mandato do governador meses antes de terminar seu oitavo ano à frente do estado. Confúcio corre o risco de sair pela porta dos fundos do palácio do governo.

Sem vontade

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem demonstrado má vontade e falta de interesse para implantar o sistema de impressão de votos na urna eletrônica. A opinião é de especialistas ouvidos nesta terça-feira (6) pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), que realizou uma audiência pública sobre o tema.

A Coluna 

João Paulo Prudêncio é jornalista e editor de política do jornal eletrônico JH Notícias e atua no jornalismo rondoniense há mais de dez anos. Informações e contato com a coluna através dos telefones: (69) 99230-0591 (Watssap) e (68) 99217-1709.

Fonte: JH Notícias

 

Anúncie no JH Notícias