Search
Close this search box.
Publicidade

PF combate crimes ambientais em reserva extrativista

Os trabalhos mobilizaram 21 profissionais e resultaram em uma prisão, além da apreensão de diversos itens.
Publicidade

A Polícia Federal, em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio e com a Polícia Militar, realizou operação de combate a crimes ambientais na Reserva Extrativista Rio Ouro Preto, em Guajará-Mirim/RO, nos dias 27 e 28/1.

No sábado (27/1), a ação contou com seis policiais federais, cinco servidores do ICMBio e quatro policiais militares, que atuaram na repressão a crimes contra a flora, especialmente de desmatamento ilegal, no interior da reserva. Foram apreendidas duas armas de fogo, munições, madeira extraída ilegalmente, uma motosserra e uma armadilha para caça.

Publicidade

Um homem foi encaminhado à Polícia Federal para lavratura de Termo Circunstanciado de Ocorrência, pela suposta prática do crime de utilização de motosserra em florestas sem licença ou registro da autoridade competente (ICMBio). Se condenado, pode receber pena de até um ano de detenção e multa. Além disso, houve a prisão de outro homem condenado a 13 anos de prisão por crimes de estupro de vulnerável e tráfico de drogas, que estava na reserva. A prisão se deu em cumprimento ao mandado de prisão expedido pela 1ª Vara Criminal de Guajará-Mirim/RO, em 22/01/2024.

Já no domingo (28/1), dois policiais federais e quatro servidores do ICMBio realizaram ação de repressão a crimes contra a fauna, especialmente os de pesca ilegal. A equipe percorreu cerca de 100 km nos rios Ouro Preto, Pacaás Novos e Mamoré e realizou abordagens a pequenas embarcações e a moradores extrativistas, a fim de verificar a conformidade das práticas com a legislação ambiental.

Combate Clean Anúncie no JH Notícias