Search
Close this search box.
Publicidade

Argentinos que começam a chegar em Rondônia são resultado da crise que o país enfrenta

Confira as notas do dia, por Cícero Moura.
Publicidade

BRASIL

Com o controle  da Covid e a intensificação da crise, o número de cidadãos argentinos  que vieram ao Brasil e pediram residência foi recorde no último ano em relação à série histórica, iniciada em 2010: 6.601.

Publicidade

AUMENTOU

Dados  reunidos pelo Observatório das Migrações Internacionais (OBMigra), mostram que a cifra representa um aumento de 21,7% em relação à registrada em 2019, o último ano pré-crise sanitária e, até então, detentor da maior marca, com 5.424.

AUMENTOU 2

Já em relação a 2021, o aumento é de 82%. Para especialistas e fontes diplomáticas, a cifra é ligada a uma demanda represada pela pandemia, mas está atrelada ao agravamento da economia local —a pedra no sapato da gestão de Alberto Fernández.

AFIRMAÇÃO

Argentinos que chegaram ao país em 2022 – a coluna conversou com dois em Porto Velho e quatro em Cacoal –  citam esse fator como prioritário. “A crise assustou todo mundo e precisava arrumar uma solução” , diz um cozinheiro que trabalha como mensageiro em um hotel.

CHANCES

Originário de Buenos Aires, o jovem diz que dois conterrâneos já conheciam Rondônia e informaram que nosso estado tem bastante oportunidades, o que interessou a ele e aos demais colegas.

GRUPO

Os irmãos argentinos chegam para somar aos venezuelanos, nigerianos, senegaleses e outros estrangeiros que aqui já se encontram apostando em um futuro melhor. Se vieram para trabalhar, não tenho dúvida que poderão obter conquistas.

OPORTUNIDADE

A Prefeitura de Porto Velho é o primeiro órgão público do Estado a assegurar o curso avançado de formação em Língua Brasileira de Sinais (Libras) aos servidores municipais, numa parceria entre a Secretaria Municipal de Administração (Semad) e a Escola do Legislativo de Rondônia.

OPORTUNIDADE 2

Em maio, os servidores municipais realizaram o curso básico em Libras, o que demandou a construção de uma nova grade avançada, em razão do sucesso da capacitação junto aos servidores. Com isso, a prefeitura de Porto Velho passa a ser o primeiro órgão público a oferecer essa formação específica.

TURMA

Mais de 50 servidores, de diversas secretarias e órgãos da administração municipal, participarão do curso ao longo de toda a semana, com as aulas ministradas pelo instrutor da Escola do Legislativo, Marcus Loureiro. A Escola do Legislativo está sob a presidência de Thiago Tezzari.

DINÂMICA

O curso é dividido em dois módulos, com carga horária de 20 horas cada. O módulo I iniciou na manhã desta segunda-feira (12) e vai até a próxima sexta-feira (16). Já o módulo II será realizado entre os dias 26 a 30 de junho.

MENOS DINHEIRO

O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, alertou para a queda nos repasses do Fundo de Participação de Municípios (FPM), reflexos ainda da política de desoneração (redução) dos impostos sobre os combustíveis, telecomunicações e energia, implantada pelo Governo Federal em junho de 2022.

PASSOU DE 25%

De 1 de janeiro até o dia 09 de junho deste ano, a prefeitura de Porto Velho teve uma arrecadação de ICMS 25,4% menor do que no mesmo período de 2022. Hildon aponta que os números refletem a decisão da política econômica de desonerar os combustíveis, telecomunicações e energia.

ESTRATÉGIA

O Prefeito destacou que Porto Velho tem suportado essa queda, com ações pontuais da administração municipal. Mas, isso não impediu que ocorressem prejuízos, embora as obrigações tivessem que ser cumpridas com menos recursos.

QUANTIA

Hildon enfatiza que, em 2022, essa desoneração impactou em cerca de R$ 100 milhões a menos nos cofres de Porto Velho, com cerca de R$ 400 milhões a menos no orçamento do Estado.

SALÁRIOS

O Prefeito  explicou que foram aprovados os novos pisos dos professores e da enfermagem, que impactaram nas despesas e nos índices de gastos com pessoal, definidos na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

MUNICÍPIOS

Presidente da Associação Rondoniense dos Municípios (AROM), Hildon Chaves relatou que a situação de muitos municípios rondonienses, especialmente os menores, cuja receita depende muito do FPM, é de dificuldades.

TRANSPORTE

Falando em Hildon Chaves, a cidade de Corumbiara, no Cone Sul, vai receber suporte para melhorar o atendimento no setor da saúde. Ontem, a  deputada estadual Ieda Chaves (União Brasil), confirmou emenda parlamentar no valor de R$ 650 mil para aquisição de um micro-ônibus para o transporte de pacientes.

FACILIDADE

O investimento melhorará o acesso e ampliará os serviços, além de garantir um transporte adequado e com segurança aos moradores. De acordo com a deputada, Corumbiara é um município pequeno e enfrenta desafios no setor e que as pessoas precisam, na maioria das vezes, sair de seus distritos e até da cidade, em busca de atendimento médico especializado.

AGILIDADE

O veículo, que terá capacidade para até 20 passageiros, atenderá necessidades específicas dos usuários, entre elas, a de acessibilidade àquelas pessoas que têm mobilidade reduzida. Outro ponto importante é que, o micro-ônibus contribuirá com a redução de tempo e espera, além do acesso mais rápido aos serviços de saúde, com atendimento humanizado e mais eficaz.

SOLICITAÇÃO

A demanda foi apresentada pelo prefeito de Corumbiara, Leandro Teixeira Vieira (PSB), o ‘Leandro da Saúde’. Para ele, o veículo auxiliará no transporte de usuários dos programas sociais dos distritos até a sede do município e ficará sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Assistência Social.

Combate Clean Anúncie no JH Notícias