Search
Close this search box.
Publicidade

Delegado Camargo rechaça novo aumento da tarifa da energia elétrica para Rondônia

Parlamentar disse que reajuste de até 13,31% é um acinte à população do estado que paga uma das maiores tarifas do país
Publicidade

O Deputado Delegado Camargo (Republicanos) subiu à tribuna da Assembleia Legislativa na tarde desta terça-feira, 12 para denunciar o que classificou como mais um golpe na economia do povo de Rondônia. De acordo com o parlamentar, o governo federal entrega às vésperas do Natal um presente de grego para a população de Rondônia, que é o aumento da tarifa de energia elétrica, autorizada na manhã desta terça-feira, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) um novo reajuste tarifário que vai de 9,09% para pequenos consumidores e até, 13,31% para os consumidores industriais e comércio de grande porte. A nova tarifa já vale a partir desta quarta-feira, 13.

Para Camargo, “isso é mais um tapa na cara da população de Rondônia que já paga uma das maiores tarifas de energia elétrica do Brasil, num estado que possui três hidrelétricas que mandam energia para todo o país, e recebem uma mixaria em troca”.

Publicidade

O parlamentar chamou atenção também para o desconto dado pelo governo do Estado para a dívida bilionária da Energisa com a implantação do Refaz, que segundo ele, é a principal beneficiada com este reajuste. “A principal beneficiada com este aumento é a empresa que deve bilhões para o governo do estado e que teve perdoada por esta Casa, grande parte desta dívida. Dinheiro do povo, que foi tirado dos cofres públicos, que poderiam subsidiar a própria fatura de energia elétrica, que foram pelo ralo.

Camargo destacou ainda que aumentar a tarifa de energia elétrica em até 13,31% em Rondônia é uma declaração de menosprezo com o povo trabalhador. É um desserviço para o desenvolvimento social e econômico de uma população que já conta suas moedas para ir ao supermercado, para pagar a caríssima fatura de energia elétrica. “Esse aumento atinge o consumidor final de duas formas, pois todos sabemos que o comerciante não vai segurar sozinho esse aumento. Será repassado nas mercadorias, assim como farão com o ICMS reajustado por esta Casa no mês passado. A conta chega sempre para o mais fraco”, disse.

Combate Clean Anúncie no JH Notícias