Search
Close this search box.
Publicidade

OPERAÇÃO DOMINÓ – Clã de Kaká Mendonça retorna após deflagração de um dos maiores esquemas de corrupção de RO

Jean Mendonça foi acusado pela PF de receber cheques de uma folha paralela
Publicidade

A anulação dos votos do deputado Saulo Moreira (DEM) pelo Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia – TRE/RO que ficou menos de um mês na cadeira de deputado pelo parlamento trouxe de volta à politica rondoniense o clã Mendonça.

Jean Mendonça, que assumirá a cadeira deixada por Saulo Moreira, é irmão do ex-deputado estadual Kaká Mendonça, preso pela Polícia Federal – PF durante a deflagração da operação Dominó em 2006 e condenado à mais de 15 de prisão.

Publicidade

No inquérito de Ação Penal 0000364-37.2010.822.0000 da operação Dominó, consta que Kaká Mendonça teria desviado em apenas um mês R$ 39.614,00 do legislativo rondoniense.

Na época Jean Mendonça era prefeito de Pimenta Bueno e teve dois cheques sacados em seu nome, o primeiro com número 011529 no valor de R$ 2.381,89 e o segundo de número 019063 no valor de R$ 3.890,29.

De acordo com a Polícia Federal esses cheques em nome de Jean Mendonça era oriundo de um esquema montado dentro do gabinete de Kaká Mendonça denominado de “folha paralela de pagamento”.

Ainda segundo a Polícia Federal, a mãe de Jean Mendonça também recebeu cheques nos valores de R$ 4.977,79 e 3.890,29. A esposa de Kaká Mendonça também teria recebido cheques dessa folha paralela.

Jean Mendonça deve assumir a cadeira no parlamento ainda essa semana.

Anúncie no JH Notícias