Search
Close this search box.
Publicidade

PARA NÃO DESAGRADAR BOLSONARO – Marcos Rocha fica fora de carta de governadores que pede auxilio emergencial de R$ 600

Publicidade

O governador Marcos Rocha não assinou a carta de encaminhada por 16 governadores brasileiros que clamam ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco e ao presidente da Câmara, Artur Lira, que o auxilio emergencial seja no valor mínimo de R$ 600.

Os valores atuais estabelecidos pelo governo federal em medida provisória são de R$ 175, R$ 250 e R$ 375.

Publicidade

“Agir contra esse cenário requer medidas sanitárias e garantia de uma renda emergencial. Somente com essas medidas seremos capazes de evitar o avanço da morte”, escrevem os governadores. “Por isso, entendemos que a redução dos valores do auxílio emergencial é inadequada para a eficácia da proteção da população. Enquanto a vacinação não acontecer em massa, precisamos garantir renda para a população mais vulnerável”, relata a carta.

A carta é assinada por Renan Filho (MDB), de Alagoas; Waldez Góes (PDT), do Amapá; Rui Costa (PT), da Bahia; Camilo Santana (PT), do Ceará; Renato Casagrande (PSB), do Espírito Santo; Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão; Reinaldo Azambuja (PSDB), de Mato Grosso do Sul; Helder Barbalho (MDB), do Pará; João Azevêdo (Cidadania), da Paraíba; Ratinho Júnior (PSD), do Paraná; Paulo Câmara (PSB), de Pernambuco; Wellington Dias (PT), do Piauí; Fátima Bezerra (PT), do Rio Grande do Norte; Eduardo Leite (PSDB), do Rio Grande do Sul; João Doria (PSDB), de São Paulo; e Belivaldo Chagas (PSD), de Sergipe.

Anúncie no JH Notícias