Search
Close this search box.
Publicidade

RETORNO POLÊMICO – Prefeito reintegrado em Ji-Paraná causa exonerações em massa

Isaú Fonseca foi afastado em julho de 2023, sob suspeita de liderar um esquema criminoso que desviou R$ 17 milhões dos cofres da cidade.
Publicidade

O prefeito de Ji-Paraná, Isaú Raimundo da Fonseca, que foi reintegrado ao cargo pelo Supremo Tribunal Federal (STF), causou polêmica ao exonerar 725 portariados do município. A lista extensa, composta por 33 páginas, foi divulgada no domingo e inclui desde membros do alto escalão até cargos menores.

O prefeito passou o final de semana na prefeitura após ser reconduzido ao cargo por meio de uma liminar concedida pelo Ministro Cristiano Zanin, do STF. Isaú Fonseca foi afastado em julho de 2023, sob suspeita de liderar um esquema criminoso que desviou R$ 17 milhões dos cofres da cidade.

Publicidade

A denúncia que resultou na queda de Isaú partiu da vereadora Rosana Pereira, do NOVO, que, em dezembro de 2022, apresentou às autoridades informações que deram início às investigações. A vereadora apontou compras superfaturadas de equipamentos para obras na cidade, como lâmpadas de LED e cabos, realizadas pela prefeitura de Ji-Paraná.

As compras suspeitas, identificadas por Rosana Pereira, incluíam valores muito acima da média de mercado, com lâmpadas à prova d’água adquiridas por R$ 875,00, enquanto custariam em média R$ 112,00, e lâmpadas de 200 volts compradas por R$ 1.180,00, em vez de R$ 197,00.

Apesar de Isaú Fonseca afirmar que a licitação não foi conduzida pela prefeitura de Ji-Paraná, mas por um consórcio intermunicipal, as denúncias de superfaturamento levaram a sérias consequências. O prefeito, mesmo com uma equipe jurídica de alto padrão, enfrentou derrotas na Justiça ao tentar retornar ao cargo.

Reintagrado, ele convoca a todos para uma coletiva de impresnsa que deve ser realizada ás 10 horas desta segunda-feira (18).

EXONERAÇÕES

Combate Clean Anúncie no JH Notícias