Quinta-Feira, 23 de Janeiro de 2020

Notícias de Rondônia

Falta de médicos nas UPAs de Porto Velho gera superlotação em policlínica na Zona Norte

Postado em 13/12/2019 às 10h32min • Atualizado 11h18min


Falta de médicos nas UPAs de Porto Velho gera superlotação em policlínica na Zona Norte

A falta de médicos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) das Zonas Sul e Leste de Porto Velho gerou sobrecarga na Policlínica Ana Adelaide e demora no atendimento na noite da última quarta-feira (11), segundo informaram pacientes que estavam no local. Eles disseram que após buscar atendimento nas UPAs, foram redirecionados à unidade de saúde na Zona Norte da cidade.

A esposa de um paciente relatou que foi pela manhã à UPA da Zona leste, localizada no bairro Lagoinha, e foi informada de que apenas um médico estava na unidade atendendo casos emergenciais que chegavam de ambulância, e que ela precisaria procurar a policlínica Ana Adelaide, já que as duas Unidades de Pronto Atendimento da cidade estavam sofrendo com a falta de médicos.

Já um morador do Nova Floresta disse que estava na UPA Sul e que só foi orientado a procurar a policlínica após duas horas esperando para ser atendido. “Eu tive que vir de moto lá da Zona Sul com a pressão acima de 20”, desabafou.

Atualmente, na policlínica Ana Adelaide trabalham dois médicos por plantão, porém um deles passou mal e precisou interromper os atendimentos. Várias pessoas que estavam no local reclamaram que estavam esperando há mais de quarto horas para serem atendidas.

Contratação emergencial

De acordo com a gerente da unidade de saúde da Zona Sul, Veridiana da Cruz Pedrosa dos Santos, a UPA está com o quadro de médicos reduzido e por isso a unidade não está atendendo pacientes classificados no quadro verde (pouco urgente), apenas os emergenciais. A gerente da UPA também informou que já foi inciado o processo de contratação de novos médicos.

Em reportagem, a Secretária Municipal de Saúde (Semusa) informou que está sendo realizada a contratação emergencial de 226 novos profissionais para atender nas unidades de saúde da capital e de outros distritos.
No dia 18 de dezembro será realizada a homologação do resultado final das contratações. Após isso, o processo passa para a Secretaria Municipal de Administração (Semad), onde serão conferidas as documentações e convocação dos profissionais.

Os médicos convocados terão 15 dias para apresentar a documentação pessoal. O prazo de entrega pode ser prorrogado por mais 15 dias, caso algum profissional entre com o pedido.
Segundo a Semusa, a expectativa é que os médicos contratados possam iniciar as atividades em janeiro 2020.

Por G1