Search
Close this search box.
Publicidade

Sem gás, mãe de cinco filhos improvisa ‘fogão’ com latinhas na capital

Para conseguir comprar um gás de 13 quilos, o pai da família está há três dias trabalhando fazendo "bicos".
Publicidade

Em meio a um novo reajuste no gás de cozinha, a dona de casa Camila Lima precisa improvisar para preparar o alimento da família. Ela tem cinco filhos e quatro moram com ela e o esposo. A mãe, com duas latinhas de cerveja, tijolos, uma grade de geladeira e álcool montou um “fogão” na porta de casa, em Porto Velho.

“Já estava caro e vai aumentar mais ainda. A gente não ganha nada e tá só aumentando as coisas, ficando cada vez mais pesado”, comenta a dona de casa.
Camila e o marido não possuem emprego fixo. A pouca renda que têm vem de empregos temporários e ajuda de terceiros. Eles vivem no Orgulho do Madeira, localizado na zona leste da capital, junto com os quatro filhos.

Publicidade

“Eu estou há dois dias cozinhando com álcool. Também tem a chuva e eu não posso ‘montar fogo’ lá atrás, no quintal, porque molha. É perigoso, mas é assim que dá por enquanto, até eu conseguir comprar meu gás”, comenta.
Para conseguir comprar uma botija de gás de 13 quilos, o esposo de Camila está há três dias fazendo “bicos” e procurando empregos temporários. A família diz que tenta juntar o dinheiro com a esperança de que seja o suficiente para a alimentação.

“Com o pouco que tem a gente ia comprar um gás esses dias, mas um pequeno já tá caro e não compensa. Então ele decidiu trabalhar mais para ver se junta mais dinheiro para comprar uma botija grande”, explica a família.

Aumento nos preços

O aumento do preço dos combustíveis foi anunciado pela Petrobras para as distribuidoras. O custo da guerra na Ucrânia chegou ao bolso do consumidor brasileiro: a partir de sexta-feira (11), a Petrobras vai reajustar os preços da gasolina, do diesel e do gás de cozinha.

A estatal justificou a alta dos combustíveis diante do aumento da cotação do barril de petróleo no mercado internacional provocado pelo conflito entre Rússia e Ucrânia – na quinta, o valor do barril superou o patamar de US$ 115. No começo da semana, quase tocou os US$ 140.

Combate Clean Anúncie no JH Notícias