Search
Close this search box.
Publicidade
EcoRondônia

Cliente acusa segurança de mercado de racismo e tira roupa em protesto

Isabel Oliveira diz nas redes sociais que foi perseguida por vigilante enquanto esteve na loja
Publicidade

Uma professora tirou a roupa dentro de um supermercado de Curitiba, neste sábado (8), em protesto a um ato que considerou racista. Ela gravou um desabafo em vídeo, que foi publicado nas redes sociais. (Assista abaixo a um trecho do desabafo da mulher nas redes sociais)

Aos prantos, Isabel Oliveira relata que foi perseguida por um segurança durante o tempo em que esteve no local. Ela disse que foi comprar leite para a filha.

Publicidade

“Fui tratada como se fosse uma marginal, fiquei sendo seguida pelo segurança do supermercado por mais de meia hora. Isso não pode ser normal”,

– afirma ela.

Ela diz no vídeo que perguntou ao segurança se oferecia algum perigo e o segurança teria dito que apenas estava cuidando do setor. A professora, no entanto, se sentiu perseguida.

“A gente não pode continuar sendo tratada como marginal. Só entrei pra fazer as minhas compras, não estava oferecendo risco nenhum a ninguém. Fiz um escândalo dentro da loja, pedindo pra ser tratada com dignidade […] Não dá pra admitir ser tratado assim, como se fosse sempre uma ameaça”, desabafa Isabel.

Assista abaixo ao desabafo da cliente postado nas redes sociais:

 

Não houve registro de boletim de ocorrência. A mulher disse que entrou em contato com uma delegacia e disse que foi informada de que precisava de provas de ato de racismo contra ela. “Eu sei o que aconteceu e aí eu tenho que provar que estava sendo perseguida pelo segurança”, reclama.

Isabel afirma no vídeo que foi amparada pela gerente do supermercado. “Ofereceu um copo d´água para eu me acalmar.”

Outro lado
A reportagem tenta contato com a assessoria de imprensa do supermercado, para manifestação.

Anúncie no JH Notícias