Aposentado aos 20, ex-jogador do Ajax sai do coma depois de um ano

Esporte - quarta-feira, 22/08/2018 às 08h58min
Aposentado aos 20, ex-jogador do Ajax sai do coma depois de um ano
Imagem .GIF que ilustra campanha publicitária do Governo de Rondônia ao combate contra o Coronavírus.

Abdelhak Nouri, ex-meio-campista do Ajax que sofreu um mal súbito em campo em 2017, saiu do estado de coma no qual se encontrava. A informação foi divulgada pelo irmão do ex-atleta, Abderrahim, em entrevista no final de semana à rede de TV holandesa NOS.

Nouri se sentiu mal durante um amistoso entre Ajax e Werder Bremen em 8 de julho de 2017 em decorrência de uma arritmia cardíaca. Hospitalizado, sofreu danos cerebrais “sérios e irreversíveis”, de acordo com o próprio Ajax, e precisou se aposentar dos gramados aos 20 anos.

No entanto, segundo Abderrahim Nouri, o irmão que jogava no Ajax deixou o coma em 5 de agosto. Segundo ele, “há comunicação” entre Abdelhak Nouri e a família.

“Ele estava apenas em coma e com os olhos fechados. Aos poucos, foi acordando”, disse. “Mas desde dezembro e janeiro, sua atenção foi se tornando um pouco melhor, e há alguma forma de comunicação. Quando você pergunta algo, ele abre a boca ou confirma que compreendeu levantando as sobrancelhas”, acrescentou.

Segundo relatos do acidente, a falta de oxigenação acabou provocando sequelas cerebrais no jogador. Os médicos descartam uma recuperação plena, mas a família ainda aguarda para acompanhar a evolução do ex-meio-campista do Ajax.

“É claro, eu acredito na ciência e acredito no que vejo, mas se falarmos a respeito do futuro, acho que o tempo nos ensinará. Acredito que ele é capaz de qualquer coisa. Nada é difícil para ele. Mantemos nossa esperança. Para as pessoas de fora que não entenderão, digo: você só precisa manter a esperança”, disse.

Desde o mal súbito de Abdelhak Nouri em campo, a família do ex-jogador tem adaptado uma casa em Amsterdã próxima à residência de seus pais. Para seu irmão, ‘Appie’ -como é conhecido o ex-jogador- tem mostrado evolução nos últimos tempos.

“Eu diria que está bem melhor do que antes, neurologicamente. Fisicamente, é mais difícil, e nós vemos uma pequena deterioração, mas é puramente por causa da falta de movimentação. Às vezes, ele sai da cama para se sentar na cadeira de rodas. Era mais difícil antes. Mas há altos e baixos. Sua resistência e seu sistema imunológico estão muito baixos”, explica Abderrahim Nouri.

“No começo, é verdade que não podíamos ficar com ele por muito tempo – são as regras do hospital. Mas os médicos viram que a família tinha muita influência em Abdelhak. Ele ficou mais calmo, nos reconheceu. E ele fica mais tranquilo conosco do que com os médicos. Ele escuta uma voz familiar. Especialmente se minha mãe e meu pai estão com ele. Estamos com ele 24 horas por dia, porque isso faz bem para ele”, acrescentou. Com informações da Folhapress.

Imagem .GIF que ilustra campanha publicitária do Governo de Rondônia ao combate contra o Coronavírus.


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email