Search
Close this search box.
Publicidade

‘Boto cor-de-rosa’ entra na lista vermelha de espécies em risco de extinção

Com cerca de 2,50 metros de comprimento e 160 kg, o boto cor-de-rosa é encontrado na Bacia Amazônica e seus afluentes. Entretanto, o risco de extinção é iminente, sendo causado por diversas ameaças.
Publicidade

O boto cor-de-rosa, o maior golfinho de água doce do mundo, entrou na lista vermelha de espécies em risco de extinção da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). A notícia é um alerta para a preservação desse animal icônico da região norte do Brasil, conhecido por seu temperamento dócil e todo o folclore que o envolve.

Com cerca de 2,50 metros de comprimento e 160 kg, o boto cor-de-rosa é encontrado na Bacia Amazônica e seus afluentes. Entretanto, o risco de extinção é iminente, sendo causado por diversas ameaças. A construção de hidrelétricas, por exemplo, interfere na migração dos botos e na qualidade da água. A matança dos botos para serem usados como iscas para a pesca da espécie piracatinga é outra grave ameaça. Estima-se que 600 botos são mortos por ano no Brasil com esse propósito.

Publicidade

Além disso, a exploração do petróleo, a circulação de barcos e turistas, a poluição das águas e a contaminação por mercúrio são outros fatores que contribuem para o risco de extinção do boto cor-de-rosa.

Uma pesquisa realizada pela IUCN mostrou que é possível que a população de golfinhos de água doce diminua pelo menos 95% em menos de 50 anos, resultado de cerca de seis simulações que a equipe projetou. Isso pode significar a extinção do boto em até um século.

A situação é preocupante e exige ação imediata. É importante que haja medidas efetivas para preservar o habitat do boto cor-de-rosa e combater as ameaças que colocam em risco a sobrevivência dessa espécie tão importante para a biodiversidade brasileira.

Anúncie no JH Notícias