Siga nossas redes sociais

Quinta-feira, 20/01/2022

JH Notícias

Sphera Engenharia - Empresa de Construção e Reformas em Porto Velho - Rondônia

Mundo

Jovem morre de câncer cervical por diagnóstico errado de Covid-19

De acordo com o médico, não houve um exame físico por acreditar que seus sintomas eram hormonais, já que a jovem tinha apenas 27 anos, achando que um exame mais invasivo não traria nenhum benefício para ela.

WhatsApp
Banner publicitário da Prefeitura de Porto Velho - IPTU 2022

Porsche McGregor-Sims era uma modelo iniciante de 27 anos que morreu no dia 14 de abril de 2020, após o médico negligenciar os seus sintomas de câncer na cervical. Segundo ele, a modelo era jovem demais para ter a doença e Porsche recebeu o diagnóstico de Covid-19, pois seus sintomas já tinham evoluído a tal ponto que ela estava com falta de ar.

Ela procurava auxílio médico desde dezembro de 2019, quando se consultou com um clínico geral se queixando de dor abdominal e sangramentos. Em janeiro de 2020, Porsche foi encaminhada ao ginecologista Dr. Peter Schlesinger, do Hospital Queen Alexandra em Portsmouth.

De acordo com Schlesinger, não houve um exame físico por acreditar que seus sintomas eram hormonais, já que Porsche tinha apenas 27 anos, achando que um exame mais invasivo não traria nenhum benefício para ela. “Se alguém estivesse na sala comigo, provavelmente o teria feito.” declara o médico.

No entanto, em março do mesmo ano, Porsche retornou a passar no clínico geral por suspeita de Covid 19, a jovem já vinha reclamando de falta de ar, se consultando apenas com médicos por telefone, mas quando os seus sintomas se agravaram ela teve que ser levada Westlands Medical Center. Sendo levada às pressas, em seguida ao Hospital Queen Alexandra, onde morreu no dia seguinte.

Julgamento
O inquérito sobre o caso da modelo revelou que apesar de exames mostrarem que havia células “anormais”, nenhuma medida foi tomada. A mãe da jovem, Fiona Hawke, de 52, declarou na audiência do médico que ele não fez o mínimo por sua filha. “Você não fez a coisa mais básica – fazer um exame interno, uma das maneiras mais simples e fundamentais de avaliar alguém para câncer cervical.”

“O fato de eu estar errado, peço desculpas”, disse o médico. Ele ainda explicou dizendo que achava que dores e sangramentos eram devido a paciente ter parado de tomar injeções anticoncepcionais. “Achei que havia uma série de causas potenciais para a dor dela. Visto que ela havia parado de usar o anticoncepcional, sugeri que tomasse novamente para ver se a dor parava.”

Além de tudo, o inquérito apontou que as diretrizes médicas também foram culpadas pelo o diagnóstico não ter sido dado cedo. “A única opção era fazer o encaminhamento prioritário. O critério de espera de duas semanas é uma diretriz nacional. Quatro semanas (considerando as férias de Natal)”, declarou.

Porsche McGregor-Sims era da noiva Mark Chappel e tinha planos de se casar em breve. O seu velório recebeu cerca de 4.000 libras para flores, por mais de 200 pessoas. Ela foi enterrada no cemitério natural do Centro de Sustentabilidade em Petersfield, Hants.

Câncer cervical no Reino Unido
O País de Gales, entretanto, ampliou o intervalo de exames de rastreio para câncer cervical de três para cinco anos, para pessoas com idade entre 25 e 49 anos. De acordo com o sistema de saúde local, a medida foi adotada diante do sucesso dos testes de HPV, iniciados em 2018.

Até o momento, mais de 700 mil pessoas assinaram uma petição pedindo o fim das mudanças pelo medo deste câncer ser diagnosticado quando for tarde demais.

Curtiu? Siga o JH NOTÍCIAS no Facebook, Instagram e no Twitter.

Entre no nosso Grupo do WhatsApp e receba as últimas notícias de Rondônia.

Por Portal Manaus Alerta

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade Banner publicitário da Prefeitura de Porto Velho - IPTU 2022
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais em Mundo

Compartilhe esta notícia: