Siga nossas redes sociais

Quinta-feira, 30/06/2022

JH Notícias

Ações do Governo de Rondônia

Polícia

CASO ANTONIELI – Suspeito de matar grávida é indiciado por feminícidio duplamente qualificado

Inquérito foi concluído nesta segunda-feira (14). Se condenado, Gabriel poderá ter pena de até 25 anos de prisão.

WhatsApp

O inquérito que investigou a morte de Antonieli Nunes foi concluído pela Polícia Civil de Pimenta Bueno (RO) nesta segunda-feira (14). Gabriel Henrique Santos Souza Masioli confessou ter estrangulado e esfaqueado a vítima. Segundo a polícia, ele teria cometido o crime para não assumir a paternidade do filho que Antonieli esperava.

Os policiais realizaram uma busca e apreensão na casa do suspeito, na tentativa de localizar o celular da vítima, mas o objeto não foi encontrado. Com o fechamento do inquérito, Gabriel foi indiciado por feminicídio duplamente qualificado com agravante, já que a vítima estava grávida.

O caso foi encaminhado ao promotor do Ministério Público de Rondônia (MP-RO), Tiago Cadore, que deve analisar se as provas colhidas são suficientes para apresentar denúncia ao Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO).

Caso Gabriel seja denunciado e condenado por feminicídio duplamente qualificado com agravante, poderá pegar até 25 anos de prisão. A Rede Amazônica tentou contato com a defesa do suspeito, mas não obteve retorno até a última atualização desta matéria.

Relembre
A morte de Antonieli Nunes Martins, de 32 anos, chocou todo o país no início do mês. Ela foi encontrada morta em cima da cama por familiares com sinais de asfixia e perfuração por objeto cortante.

Principal suspeito, Gabriel Henrique tinha um relacionamento extraconjugal com a vítima e teria cometido o crime para não assumir o filho que ela estava esperando. Em depoimento, ele revelou que imobilizou Antonieli com um golpe de ‘mata-leão’, enquanto eles estavam deitados de ‘conchinha’ na cama. Depois da confissão ele foi liberado.

Familiares, amigos e moradores de Pimenta Bueno realizaram um protesto cobrando justiça pela morte da grávida. O ato aconteceu na frente da delegacia do município.

Gabriel foi preso no dia 4 de fevereiro, depois que a Justiça decretou sua prisão. Ele chegou a ser transferido de presídio, mas permanece preso desde então aguardando o julgamento.

Banner publicitário Governo de Rondônia
Banner publicitário da Assembleia Legislativa

Ações do Governo de Rondônia

Curtiu? Siga o JH NOTÍCIAS no Facebook, Instagram e no Twitter.

Entre no nosso Grupo do WhatsApp e receba as últimas notícias de Rondônia.

Por G1/RO

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Publicidade
Publicidade Ações do Governo de Rondônia
Publicidade

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais em Polícia