Search
Close this search box.

Executor de ex-presidiário é suspeito de conversar com vítima na véspera do crime

O crime de homicídio praticado contra Thiago Ferreira de Moura, 29 anos, ocorreu nesta quarta-feira (9)
Publicidade

O crime de homicídio praticado contra Thiago Ferreira de Moura, 29 anos, ocorreu nesta quarta-feira (9), em um lava jato localizado na Rua Antônio Fraga Moreira com Rua Lauro Corona, Bairro Tancredo Neves, zona leste de Porto Velho.

Testemunhas informaram à Polícia Militar que a vítima estava no lava jato, quando um homem branco e alto se aproximou armado com uma pistola e efetuou vários tiros contra Thiago. A vítima foi atingida e correu, mas por estar baleada, acabou caindo.

Publicidade

O assassino se aproximou e efetuou mais dois tiros na vítima. Após o ataque, o homem correu e montou na bicicleta de um comparsa que lhe aguardava na esquina. Uma equipe médica do Samu foi acionada e constatou o óbito de Thiago.

Os policiais foram informados por uma testemunha, que na data de ontem (8), uma mulher morena, porte físico obeso, com várias tatuagens pelo corpo, disfarçadamente filmava com o aparelho celular e conversava com alguém, provavelmente em uma chamada de vídeo, indo embora logo depois.

Momentos depois, um homem magro e alto chegou ao lava jato e conversou com Thiago, perguntando se por ali encontraria algum mototáxi. Em seguida, o suspeito foi embora. Já na data de hoje, houve o crime e o executor possui as mesmas características do homem que conversou com a vítima na data de ontem.

Thiago havia saído recentemente do presídio e poucos dias estava trabalhando no lava jato. A Polícia Civil, através da Delegacia de Homicídios, irá investigar o caso.

Anúncie no JH Notícias