Search
Close this search box.
Publicidade

OPERAÇÃO GREENWSHING – PF desmantela quadrilha de grileiros e fraudadores de terras na Amazônia

A escolha do nome "Greenwashing" para a operação é uma referência ao termo que em português significa "lavagem verde",
Publicidade

Em uma ação coordenada na manhã desta quarta-feira (05), a Polícia Federal de Rondônia cumpriu cinco mandados de prisão preventiva e 76 mandados de busca e apreensão como parte da Operação Greenwashing. A operação, que coincide com o Dia Mundial do Meio Ambiente, foi autorizada pela 7ª Vara Federal da Seção Judiciária do Amazonas e visa desmantelar uma quadrilha envolvida em crimes ambientais na Amazônia.

O foco da Operação Greenwashing é desarticular um grupo criminoso acusado de invadir ilegalmente áreas da União e movimentar mais de R$ 180 milhões em créditos de carbono oriundos dessas terras. A quadrilha teria fraudado escrituras e furtado aproximadamente 538 mil hectares de terras públicas, de acordo com as investigações.

Publicidade

Além dos crimes relacionados aos créditos de carbono, a Polícia Federal aponta que o grupo negociou terras griladas, movimentando cerca de R$ 820 milhões. A amplitude do esquema incluiu ações não apenas em Rondônia e Amazonas, mas também nos estados do Mato Grosso, Paraná, Ceará e São Paulo.

A operação ocorre no contexto de um discurso nacional feito pela ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, na noite anterior, onde ela abordou a importância da preservação ambiental e o combate às atividades ilícitas que destroem o ecossistema amazônico. A escolha do nome “Greenwashing” para a operação é uma referência ao termo que em português significa “lavagem verde”, destacando a dissimulação das atividades criminosas sob a falsa aparência de práticas ambientalmente corretas.

Esta operação representa um passo significativo no combate aos crimes ambientais na Amazônia, destacando o compromisso das autoridades brasileiras em proteger uma das regiões mais biodiversas e cruciais do planeta. A ação da Polícia Federal reflete um esforço contínuo para enfrentar a grilagem e a fraude fundiária, práticas que ameaçam tanto a integridade ambiental quanto os direitos da União sobre essas terras.

Anúncie no JH Notícias