Search
Close this search box.
Publicidade

Bancada de Rondônia participou de ato em São Paulo mesmo estando em partidos que estão na base aliada de Lula

Confira as notas do dia, por Cícero Moura.
Publicidade

PRESENTES

O ato promovido por Jair Bolsonaro (PL) na avenida Paulista mostrou que ele tem um público muito fiel – embora menor do que era antes do 8 de janeiro – e que mesmo inelegível tem força e isso não pode ser desconsiderado.

Publicidade

FIÉIS

Ao que parece, boa parte de quem sempre esteve a seu lado terá sua benção nas eleições de outubro. Nessa linha, fiéis escudeiros não perderam  a chance de “aparecer” na Paulista e registrar isso nas redes sociais.

OPORTUNISMO

O problema é que entre os bolsonaristas de carteirinha, estava uma cambada de oportunistas. Gente que acredita ainda na possibilidade de levar vantagem, reverberando aos quatro cantos tudo que Bolsonaro fala e defende.

RONDÔNIA

Na manifestação de domingo, deputados federais do União Brasil e também do MDB de Rondônia se fizeram presentes. Fernando Máximo, Maurício Carvalho e João Chrisóstomo registraram toda sua empolgação e patriotismo nas redes sociais.

ALIADOS

A defesa de Bolsonaro é algo absolutamente normal para quem se declara de Direita, a questão é que UB e MDB tem cargos no Governo Lula e portando se encontram na condição de base aliada.

DEMOCRACIA

No entanto, é realmente essa possibilidade de pensar diferente e poder discordar que deixa a política atraente. Acordos políticos entre partidos existem e, em muitos casos, são necessários para a governabilidade. Mas isso não impede que filiados, principalmente com mandato, abram mão de convicções.

ATO

Ainda sobre o  ato convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro,  milhares de pessoas se reuniram na Avenida Paulista. Três governadores, prováveis candidatos à presidência, também estiveram por lá.

NOMES

Romeu Zema (NOVO); Minas Gerais, Ronaldo Caiado (UB); Goiás, e Tarcísio de Freitas (Republicanos); de São Paulo, reforçaram apoio a Jair Bolsonaro e mostraram que estão “vivos ” para a disputa de 2026.

“ESCOLHIDO”

São três presidenciáveis que sonham ter Bolsonaro – caso seja mantida a inelegibilidade dele – no palanque. A questão é que apenas um poderá ser o escolhido, já que todos estão em partidos diferentes ao do ex-presidente.

MULTIDÃO

Um detalhe do ato na Paulista, que ainda gera controvérsias, diz respeito ao número de pessoas que estiveram presentes no movimento.

DADOS

As principais estimativas quanto ao público presente divergem entre si: a Secretaria de Segurança Pública (SSP) afirmou que 600 mil pessoas estiveram no local.

DADOS 2

Já o Monitor do Debate Político no Meio Digital, projeto de pesquisa da Universidade de São Paulo (USP), calculou que cerca de 185 mil pessoas estavam na avenida durante o pico do protesto.

DETALHE

Os índices garantem ao ato uma das maiores presenças já registradas em uma manifestação política na Paulista. No entanto, setores do bolsonarismo não se sentiram satisfeitos com as estatísticas divulgadas tanto pela Secretaria quanto pelo grupo da USP.

REDES SOCIAIS

O deputado federal Eduardo Bolsonaro compartilhou no X (antigo Twitter) uma publicação de um perfil polonês que diz que “mais de um milhão de pessoas” estiveram na Paulista, um dado sem respaldo até  mesmo na projeção da Secretaria de Segurança.

SEM FONTE

A publicação não menciona a fonte do número e Eduardo Bolsonaro, que não foi ao protesto, tampouco cita a origem do levantamento. Em outra publicação no X, o filho do ex-presidente fez uma crítica direta à USP, cujo grupo de estudos projetou o número de presentes em 185 mil.

EXPLICAÇÃO

O Estadão questionou as duas fontes para compreender a metodologia de cada levantamento. O professor Pablo Ortellado, coordenador do grupo da USP, explicou que a ferramenta utilizada processa dados a partir de inteligência artificial. Com o auxílio de imagens aéreas, os pesquisadores quantificam o número de cabeças (portanto, de indivíduos) em uma determinada multidão.

GOVERNO

A Secretaria também utiliza imagens aéreas, mas o cálculo não é feito contando cabeças, e sim multiplicando a área observada por um “coeficiente de ocupação”.

MÉTODO

O cálculo do grupo da USP foi feito com 43 fotografias do protesto. Dessas imagens, foram selecionados oito registros, de forma a cobrir a Avenida Paulista em toda a sua extensão, sem sobreposição das áreas compreendidas em cada foto. Em seguida, empregou-se um método denominado “Point to Point Network”, que consiste em contar o número de cabeças presentes em cada fotografia.

RETORNO

A Assembleia Legislativa de Rondônia (Alero) realizou a instalação da 2ª sessão legislativa ordinária da 11ª legislatura ontem, no Plenário Lúcia Tereza Rodrigues dos Santos. A sessão ordinária foi aberta pelo presidente da Casa de Leis, deputado estadual Marcelo Cruz (Solidariedade), e, em seguida, transformada em comissão geral, quando houve o pronunciamento das autoridades.

ROTINA

As sessões ordinárias acontecem às terças-feiras, às 15h, e às quartas-feiras, às 9h. A população pode acompanhar as sessões presencialmente, ou pelo canal da TV Assembleia, 7.2, ou ainda pelo canal no YouTube.

SEMANA QUE VEM

Os trabalhos das quinze comissões permanentes retornam nos dias 5 e 6 de março. São esses colegiados que avaliam se os projetos têm condições de seguir tramitando na Casa.  As informações acerca das matérias legislativas podem ser encontradas no Sistema de Apoio ao Processo Legislativo (Sapl).

Nossa Campanha do meu Aniversário Solidário continua.
Hoje tem gostinho especial…completo 29 anos que estou no Brasil,  em Rondônia! ????

Com este sentimento de gratidão por tudo que recebi,  que quero te convidar para participar do meu aniversário.????

Como? 
Fazendo uma DOAÇÃO a partir de R$ 55,00 , para a Casa Família Rosetta,  onde atuo há 29 anos.  

Acredito que o Amor tudo Transforma!

Doe pelo PIX :
63762553000100

Combate Clean Anúncie no JH Notícias