CIRANDA – Mais de R$ 20 milhões para estudantes ribeirinhos foi desviado durante gestões Nazif e Hildon, diz PF

A expectativa é que essa ação federal consiga sanar esses contratos e garantir finalmente que os recursos destinados ao transporte dos estudantes sejam aplicados de forma devida na capital de Rondônia. 

Política - terça-feira, 29/05/2018 às 10h32min
CIRANDA – Mais de R$ 20 milhões para estudantes ribeirinhos foi desviado durante gestões Nazif e Hildon, diz PF

Um suposto grupo de empresários, em coluio com representantes diretos do poder executivo municipal em Porto Velho, acusado de desviar mais de R$ 20 milhões em recursos destinados para o transporte de jovens estudantes que moram em regiões ribeirinhas, esse foi o esquema desvendado por agentes da Polícia Federal que culminou na deflagração da operação Ciranda na manhã desta terça-feira (29).

Foram cumpridos 55 mandados judiciais expedidos pela 3ª Vara da Justiça Federal da Seção Judiciária de Rondônia, por 120 Policiais Federais. São 10 mandados de prisão temporária, 29 de busca e apreensão e 16 de sequestro e indisponibilidade de bens, nas cidades de Porto Velho, Rio Branco/AC, Manacapuru/AM e Recife/PE.

O secretário de educação Marcos Aurélio Marques, foi levado de forma coercitiva até a sede da Polícia Federal para prestar mais esclarecimentos sobre o possível esquema. Estima-se que entre os anos de 2014 à 2018, um cartel montado pelos empresários denunciados, recebeu mais de R$ 100 milhões em contratos com serviços de transporte fluvial escolar para a prefeitura de Porto Velho.

Ainda, de acordo com a Polícia Federal, todos esses contratos viam superfaturados, contando com um esquema montado dentro das engrenagens do poder público afim de lesar a sociedade portovelhense. Durante os anos apontados em que o suposto esquema funcionou, dois partidos passaram pela prefeitura de Porto Velho o PSB com Mauro Nazif e o PSDB, com o atual prefeito Hildon Chaves.

Toda a operação foi desenvolvida em parceria da PF com a Controladoria Geral da União – CGU/RO, que cedeu informações para a abertura do inquérito que levará à julgamento todos os denunciados. Em Porto Velho, a precariedade do sistema de transporte escolar, em especial nas comunidades de distritos e regiões mais distantes da área urbana da cidade, vem sendo motivo para protestos com fechamentos de estradas.

A expectativa é que essa ação federal consiga sanar esses contratos e garantir finalmente que os recursos destinados ao transporte dos estudantes sejam aplicados de forma devida na capital de Rondônia.

Fonte: JH Notícias


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email