FINANCIAMENTO PÚBLICO DE CAMPANHA – Bancada de RO está indecisa e apenas três deputados são contra

Política - quarta-feira, 23/08/2017 às 07h34min
FINANCIAMENTO PÚBLICO DE CAMPANHA – Bancada de RO está indecisa e apenas três deputados são contra

Tramita na Câmara dos Deputados em Brasília (DF) uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC 77/03) que prevê o montante na casa de R$ 2,5 a R$ 3,5 bilhões de reais destinados exclusivamente ao Fundo Especial de Financiamento da Democracia (FFD), ou seja, recursos públicos para abastecer fundo eleitoral, o popular fundão.

Se aprovada, a proposta pode entrar no pacote da reforma política e vigorar já nas eleições de 2018. Com isso, o Brasil, que já financia as atividades dos partidos por meio do Fundo Partidário, passaria a integrar o grupo de países que também garantem o financiamento público de campanhas eleitorais.

Por conta dessa ideia, movimentos contrários à medida monitoram os passos dos deputados federais sobre o posicionamento deles para com o tema. Um Mapa Contra o Fundo Eleitoral foi elaborado pelo “Movimento Vem Pra Rua” e revela como os parlamentares devem votar sobre a PEC.

Até agora, segundo o Mapa, dos oitos deputados de Rondônia cinco ainda não definiram como vão votar. A consulta ao Mapa realizada hoje (22) mostra que Lúcio Mosquini (PMDB), Luiz Cláudio (PR), Marcos Rogério (DEM), Mariana Carvalho (PSDB) e Nilton Capixaba (PTB) estão indecisos. Já os deputados Expedito Netto (PSD), Marinha Raupp (PMDB) e Lindomar Garçon (PRB) declararam ser contra a proposta.

“Vamos cobrar todos os parlamentares para impedir a criação do fundo eleitoral, também conhecido como bolsa-eleição. Classificamos como contra os parlamentares que fizerem declarações públicas contrárias às Criação do Fundo Eleitoral, atuando de forma legislativa para impedir que esta proposta seja aprovada. No grupo dos indecisos, classificamos todos os parlamentares que não se manifestarem sobre o assunto ou aqueles que, no nosso entendimento, não se posicionarem de maneira clara sobre a Criação do Fundo Eleitoral. Estes são os que mais precisam ser cobrados. Já os parlamentares que se declararem a favor ou atuarem de forma legislativa visando aprovar a Criação do Fundo Eleitoral, serão classificados como a favor”, explica a direção do MVPR.

Fonte: – NewsRondonia


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email