Search
Close this search box.
Publicidade

O que era para ser uma necessidade fugiu ao controle e virou vício incurável

Confira as notas do dia, por Cícero Moura.
Publicidade

EVOLUÇÃO

No início dos anos 90 eles chegaram para ser uma comodidade e facilitar a vida das pessoas que precisavam acompanhar  as atividades de trabalho. Também vale destacar que houve um período em que ter celular era ostentação.

Publicidade

NECESSIDADE

Não demorou muito para o telefone móvel virar uma necessidade. Era o meio quase que imediato para se localizar alguém e também uma ferramenta de negócios onde de longe, por exemplo, empresários poderiam gerir empresas ou tomar decisões importantes.

AVANÇO

O tempo passou, o celular evoluiu, os preços foram ficando mais acessíveis por conta da competitividade entre as empresas de telefonia e hoje os aparelhos podem ser encontrados em qualquer lugar e com quer que seja.

PERFIL

Não há uma definição de perfil para usuário de telefone móvel se for levado em conta que é “normal” você chegar em uma casa, por exemplo, e se deparar com uma criança de 2 anos grudada em um celular. Os pais afirmam que é uma “maneira” de manter a criança ocupada.

CAMINHO ERRADO

Nem é preciso ser especialista em educação para  afirmar que esse é um dos maiores erros dos pais. Tornar as crianças obsessivas e viciadas em um aparelho que, realmente, é muito útil, mas que também pode virar doença.

NAS MÃOS DE TODO MUNDO

A quantidade de smartphones cresceu substancialmente na última década, sendo que mais da metade de toda população do planeta já possui um dispositivo.

PONTUAL

Nos países desenvolvidos, a taxa é ainda maior, mais de 80% da população já possui um smartphone. Com a maior disponibilidade, cresce também um problema, o vício em smartphones.

ESTUDO

O uso indiscriminado do smartphone, tem sido associado a deficiências cognitivas, dificuldade no estudo, piora na qualidade do sono, e em alguns casos até na depressão.

POSIÇÃO

O Brasil não escapa deste problema contemporâneo, e está em 4º no ranking dos países com mais viciados em smartphones. É o que revela um estudo divulgado pela plataforma de descontos online CupomValido.com.br com dados da Universidade McGill.

LÍDERES

O Brasil fica atrás somente de 3 países: Malásia, Arábia Saudita e China. Já os países com menos viciados, são a França e a Alemanha.

RAZÃO DISSO

Os pesquisadores citam que normas sociais variadas e expectativas culturais podem influenciar na importância que os indivíduos atribuem a permanecer em contato constante por meio de smartphones.

COLETIVO

Países com uma cultura mais coletivista (como o Brasil), onde as conexões interpessoais são altamente valorizadas, podem apresentar taxas mais elevadas de vício em smartphones. Principalmente por passar mais tempo em redes sociais com os amigos e familiares.

NA OUTRA PONTA

Por outro lado, culturas individualistas (como a Alemanha), que priorizam a autonomia pessoal, podem demonstrar taxas mais baixas de dependência de smartphones.

COMO TRATAR O VÍCIO DE SMARTPHONE

O tratamento pode ser abordado de diversas maneiras, sendo as principais:

  • Definição de limites de tempo máximo gasto no uso do smartphone por dia
  • Controle de notificações, desativando todas as notificações desnecessárias, e reduzindo a tentação de verificar o dispositivo a todo momento
  • Distância física do aparelho, seja deixando em outro cômodo ou fora do alcance das mãos, principalmente na hora do estudo, do trabalho ou de dormir
  • Por fim, caso o vício esteja afetando negativamente a saúde física ou mental, é interessante considerar a ajuda profissional de saúde ou terapeuta

Fonte: Universidade McGill, CupomValido.com.br

DESCASO

O Ministério Público de Rondônia (MPRO) ingressou com Ação Civil Pública (ACP) com pedido de tutela de urgência, contra uma escola da rede particular de Porto Velho para assegurar direitos a uma criança com diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista, nível 2.

DETERMINAÇÃO

A Promotora titular da área do Direito do Consumidor  informou que a escola deve disponibilizar professor(a) mediador(a) escolar, formado(a) na área de educação infantil, para o desenvolvimento do processo de ensino-aprendizagem da criança.

NÃO ACEITOU

Em reunião com as partes na Promotoria de Justiça, a fim de propor uma solução amigável para o caso, a escola não concordou, alegando que já supre as necessidades do estudante com a estrutura que se encontra disponível.

MEDIDA

Diante disso foi proposta  Ação Civil Pública, visando o cumprimento da legislação. A Lei Federal nº 12.764/2012 que instituiu a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista prevê, em seu artigo 3º, parágrafo único, que em casos de comprovada necessidade, a pessoa com Transtorno do Espectro Autista incluída nas classes comuns do ensino regular terá direito a acompanhante especializado”, explicou a Promotora de Justiça Daniela Nicolai.

CENSO

Falando em MP, o órgão está convidando  a sociedade rondoniense e o Poder Público para o Seminário de apresentação dos resultados do censo de migrantes latino-americanos em situação de rua. O evento acontece hoje, a partir das 9h, no edifício-sede do MPRO em Porto Velho.

LEVANTAMENTO

Durante o evento serão apresentados os dados coletados no censo demográfico sobre os indígenas venezuelanos da etnia Warao que aportaram na cidade de Porto Velho.

TRABALHO

A coleta de informações aconteceu este ano, através do trabalho em campo da equipe de Ciências Sociais do Núcleo de Análises Técnicas do MPRO.

SITUAÇÃO

Segundo a Promotora de Justiça Daniela Nicolai de Oliveira Lima, que atua na Curadoria de Cidadania e Direitos Humanos, a partir do censo será possível identificar as principais vulnerabilidades dessa população migrante.

NA SEQUÊNCIA

O próximo passo é propor ao Poder Público (Estado e Município) as políticas públicas para a inclusão social e garantia dos direitos para a assistência social, capacitação profissional, saúde, educação e proteção à infância e juventude.

Combate Clean Anúncie no JH Notícias