Siga nossas redes sociais

Domingo, 28/11/2021

JH Notícias

Política

RETROCESSO – Bancada de RO no Senado vota sim para Lei que muda crimes de improbidade administrativa

A Lei impede que um servidor seja responsabilizado pelo crime de omissão

WhatsApp

Aprovado pelo Senado durante sessão na noite desta última quarta-feira (29) o novo texto base da Lei de improbidade administrativa, visto por grande parte da população brasileira como um retrocesso nas leis de combate à corrupção, contou com o apoio massivo da bancada rondoniense.

Os três senadores rondonienses Marcos Rogério (DEM), Acir Gurgacz (PDT) e Maria Eliza (MDB) votaram favoráveis à polemicas mudanças na Lei que diminuem as possibilidades dos órgãos de Justiça cobrarem pessoas envolvidas em esquemas que utilizam o dinheiro público.

Mulher para efetivação

Uma dessas mudanças é o fato de que a Lei impede que um servidor seja responsabilizado pelo crime de omissão em atos de improbidade, com o texto apoiado pela bancada de Rondônia, é necessário que seja provado o interesse direto do agente público em lesar o erário.

Chamada Escolar 2022
Banner publicitário Refis-Semfaz Porto Velho

Outro ponto é o aumento do período de investigação de casos de improbidade que antes do novo texto era de 180 dias e agora passa há um ano, sendo prorrogável por mais um ano.

O fato é que muitos senadores acabaram legislando em causa própria, já que alguns deles são investigados ou acusados de crimes de improbidade. O texto volta para a Câmara e após aprovação segue para sancionamento do presidente.

Curtiu? Siga o JH NOTÍCIAS no Facebook, Instagram e no Twitter.

Entre no nosso Grupo do WhatsApp e receba as últimas notícias de Rondônia.

Por JH Notícias

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade JR Consultoria Financeira Porto Velho
Publicidade
Publicidade Mulher para efetivação
Publicidade
Chamada Escolar 2022
Banner publicitário Refis-Semfaz Porto Velho
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais em Política

Compartilhe esta notícia: