Search
Close this search box.
Publicidade

Peixes cultivados em cativeiro não apresentam risco de contaminação por mercúrio

Segundo a Associação, problema de saúde pública ocasionado pela contaminação dos peixes selvagens de Rondônia gerou impactos econômicos ao setor da piscicultura.
Publicidade

Os peixes cultivados e produzidos em cativeiro estão livres de mercúrio e podem ser consumidos sem risco à saúde, destacou a Associação dos Criadores de Peixes do Estado de Rondônia (Acripar).

De acordo com a Associação, o problema de saúde pública ocasionado pela contaminação dos peixes selvagens expostos ao mercúrio, gerou impactos econômicos ao setor da piscicultura.

Publicidade

Ao jornal, o presidente da Acripar, Francisco Hidalgo, disse que a circulação da informação sobre a contaminação dos peixes gerou insegurança no consumidor.

“Isso traz, de imediato, prejuízos para a cadeia produtiva e de fato não existe uma fundamentação nem nada para comprovar que existe risco de contaminação em Rondônia. 99% da população consome peixes cultivados e é preciso deixar claro que só os peixes selvagens estão contaminados”, avaliou Hidalgo.

Piscicultura em Rondônia. — Foto: Acripar/Divulgação
Piscicultura em Rondônia. — Foto: Acripar/Divulgação

Segundo um estudo realizado pela World Wide Fund for Nature (WWF-Brasil), Rondônia tem o 3º maior índice de pescados selvagens contaminados. No entanto, existe uma alta movimentação de peixes cultivados em ambientes controlados.

De acordo com a Acripar, a criação de tambaqui em Rondônia é livre da contaminação do metal e as propriedades rurais seguem produzindo pescados com controle da qualidade da água e alimentação saudável.

Dados fornecidos pela associação mostram que os peixes produzidos em cativeiro são os mais consumidos no Brasil e no estado, não apresentando riscos à população.

Combate Clean Anúncie no JH Notícias