Search
Close this search box.
Publicidade
EcoRondônia

Prefeitura da Capital dá novos detalhes sobre plano de retorno de aulas presenciais

No item 1, as salas de aula ganharão maior espaçamento entre carteiras e diminuição da quantidade de alunos em sala;
Publicidade

A Prefeitura de Porto Velho, através da Secretaria Municipal de Educação (Semed) incluiu no plano de retorno às aulas presenciais regras que deverão ser adotadas pelas escolas e profissionais da educação no âmbito do Município.

A justificativa, segundo o secretário municipal de Educação, Márcio Félix, é a necessidade de imprescindibilidade de que o retorno às aulas não contribua para um aumento sucessivo no número de casos de positivos do novo coronavírus (Covid-19).

Publicidade

“O emprego dessas orientações leva em consideração a realidade local e as dificuldades enfrentadas por cada escola onde podem, caso necessário, sofrer alterações e adaptações, conforme o decorrer do controle da situação de saúde local. O objetivo é único: impedir a propagação da doença entre os profissionais da educação, os alunos e suas famílias”, disse Félix.

O secretário ressaltou os vários itens que compõem o plano, de acordo com as disposições da Organização Mundial de Saúde (OMS) e dos demais organismos de saúde, priorizando o (1) distanciamento social; (2) controle de temperatura de estudantes e servidores; (3) disponibilidade de máscaras; (4) medidas de higiene e (5) cuidados com as pessoas com suspeita de contaminação.

Detalhamento

No item 1, as salas de aula ganharão maior espaçamento entre carteiras e diminuição da quantidade de alunos em sala; não haverá atividades em grupo de alunos; rotina rigorosa de escalonamento dos horários (entrada, recreação, alimentação, saída) evitando aglomerações; escolas receberão sinalização de rotas e de distanciamento e marcação de lugares nos ambientes comuns.

Já o item 2 prevê que alunos e educadores terão a temperatura aferida na entrada e, se a medição for igual ou superior a 37,5ºC será proibida a entrada no ambiente escolar.

O item 3 consiste na exigência da utilização de máscara por alunos e professores durante todo o tempo de estadia na escola e a utilização de Equipamentos de Proteção individual (EPIs) para professores e demais profissionais da Educação.

Compõem o item 4 outras medidas, tais como lavagem com água e sabão ou higienização das mãos com álcool 70% na chegada dos alunos e profissionais da educação e a repetição desse procedimento, no mínimo, uma vez a cada duas horas ao longo do dia. Nos lavatórios e pias serão disponibilizados sabonete líquido, suporte com papel toalha, lixeira com tampa com acionamento por pedal e dispensadores com álcool em gel em pontos de maior circulação; disposição de tapetes com solução higienizadora para limpeza dos calçados; dosadores de álcool gel na entrada das escolas para higienização das mãos (entrada e saída) e a instalação de totens com álcool em gel na porta de entrada de todas as escolas da rede municipal.

Por fim, constam no item 5, orientações à equipe escolar para identificação dos sinais e sintomas e procedimentos em caso de suspeição de contaminação; comunicação à autoridade local quando ocorrer caso suspeito ou confirmado de contaminação na escola; preparação de ambiente para o isolamento imediato de qualquer pessoa que apresente os sintomas característicos de contaminação, orientando-a e a seus familiares a seguirem os procedimentos indicados pelas autoridades de saúde pública; encaminhamento para casa e o seu retorno à unidade escolar estará condicionado à apresentação de laudo médico.

Anúncie no JH Notícias