Search
Close this search box.
Publicidade

Queimada urbana é crime passível de multa e principal agravante de doenças respiratórias nesta época do ano

Prefeitura promove campanha de conscientização
Publicidade

O período de estiagem na Amazônia já é comumente associado a muitos transtornos à saúde da população de Porto Velho. O motivo continua sendo as queimadas urbanas e rurais que costumam ocorrer com mais frequência no período mais seco do ano.

Para diminuir essa incidência e todas as consequências negativas vindas com ela, a Prefeitura da capital trabalha massivamente a prevenção e orientação, por meio das ações da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Ambiental (Sema).

Publicidade

Neste ano, a pasta lançou a campanha “A Queimada que Você Faz Apaga Vidas” que busca orientar sobre as graves consequências que essa prática traz, principalmente, à saúde. A experiência mostra que as altas temperaturas, umidade baixa e o acúmulo de fumaça tendem a agravar problemas respiratórios e aumentar o fluxo de pacientes nas unidades de saúde.

Para evitar isso, a Sema age de forma preventiva, orientando e se necessário também multando. Para mudar a cultura da queimada como forma de limpeza dos quintais, a Sema desenvolve o tema também nas escolas ensinando processos de compostagem de resíduos.

A pasta conta, ainda, com a Fiscalização de Meio Ambiente, que pode ser acionada por meio de denúncia da população diante de qualquer foco de incêndio. No número (69) 98423-4092, os moradores podem enviar fotos, vídeos e localização correta para auxiliar as equipes durante o flagrante. Os moradores também podem acionar o Corpo de Bombeiros, através do 193.

CRIME

A Prefeitura lembra que fazer queimadas urbanas é crime ambiental, passível de multa. O valor pode variar de 1 a 100 mil UPFs, dependendo do dano causado ao meio ambiente que deverá ser avaliado por um fiscal da Sema. O valor de cada Unidade Padrão Fiscal (UPF) é de R$ 94,90.

Combate Clean Anúncie no JH Notícias