Search
Close this search box.

Brasil alcança menor índice de mortes violentas em 11 anos, com queda de 2,4% em relação a 2021

O levantamento realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública revelou que o país registrou 47.508 mortes, representando uma queda de 2,4% em relação ao ano anterior
Publicidade

O Brasil registrou um significativo declínio no número de mortes violentas intencionais em 2022, marcando a menor taxa desde 2011, conforme o Anuário Brasileiro de Segurança Pública divulgado nesta quinta-feira (20). O levantamento realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública revelou que o país registrou 47.508 mortes, representando uma queda de 2,4% em relação ao ano anterior, quando foram contabilizadas 48.431 mortes. Esses números resultam em uma média de 23,4 mortes violentas por 100 mil habitantes.

O estudo ainda destaca que as mortes violentas intencionais englobam vítimas de homicídio doloso, latrocínios, lesão corporal seguida de morte e mortes decorrentes de intervenções policiais, além de policiais assassinados.

Publicidade

Apesar da pequena redução, o Fórum Brasileiro de Segurança Pública salienta que o país ainda enfrenta desafios consideráveis e questões de desigualdade racial, de gênero e regionais, que marcam as vítimas da violência letal.

A análise regional mostra que cerca de quatro em cada dez mortes violentas intencionais ocorreram no Nordeste, porém, a região registrou uma queda de 4,5% no número de mortes em relação a 2021. Por outro lado, as regiões Sul e Centro-Oeste apresentaram aumento de 3,4% e 0,8%, respectivamente, enquanto o Sudeste teve uma redução de 2% e o Norte de 2,7%.

Veja detalhes na tabela abaixo:

No que diz respeito aos estados, o Amapá foi o mais violento, com uma taxa de 50,6 mortes violentas por 100 mil habitantes, seguido pela Bahia, com taxa de 47,1, e o Amazonas, com taxa de 38,8. Por outro lado, São Paulo foi o estado menos letal, com uma taxa de 8,4, seguido por Santa Catarina, com 9,1, e o Distrito Federal, com 11,3.

Confira mais na tabela:

O estudo do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que produz a série histórica desde 2011, destaca a relação entre a explosão de violência a partir de 2016 com o racha entre o Primeiro Comando da Capital (PCC) e o Comando Vermelho (CV), que levou a uma disputa territorial e ao aumento das mortes violentas no país.

Veja a série histórica:

O perfil das vítimas demonstra que os homens são as maiores vítimas, representando 91,4% das mortes violentas intencionais, e 76,5% dos mortos são negros. Nas intervenções policiais, os negros são 83,1% das vítimas, sendo 76,5% em homicídio doloso, 58,5% em latrocínio e 72,1% em lesão corporal seguida de morte.

*Com informações CNN Brasil

Anúncie no JH Notícias