Major que serviu em quartel de Porto Velho se revela trans e recebe apoio após ataque nas redes sociais

Renata Gracin é mulher trans e se formou na Infantaria da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman)

Brasil - terça-feira, 28/07/2020 às 15h40min
Major que serviu em quartel de Porto Velho se revela trans e recebe apoio após ataque nas redes sociais
Imagem .GIF que ilustra campanha publicitária do Governo de Rondônia ao combate contra o Coronavírus.

Após ser “descoberta” como mulher trans, a major do Exército Renata Gracin, que serviu na 3º CIA do 54 BIS em Porto Velho, foi atacada e fez um desabafo nas redes sociais, onde recebeu apoio. Ela formou-se em 2004, na Infantaria da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), e provocou indignação de militares por não ter dado baixa no cargo após ter mudado de gênero.

Em sua conta no Facebook, Renata, que antes era conhecida como major Seixas, lamentou os insultos e garantiu que seguirá na luta por direitos, e pela pauta LGBTQI+. “O dia que eu sabia que iria chegar, chegou! Estou sendo exposta em grupos de WhatsApp do Brasil todo, o que não me abala. Sou uma lutadora da causa LGBTQI+ e defensora dos direitos humanos. Sou Major do Exército Brasileiro e agora minha luta continua…”, publicou.

Mesmo com a maioria dos comentários em apoio, alguns perfis expuseram opiniões preconceituosas, na tentativa de abalar a militar. “Ridicularizando a FORÇA, seja feliz com sua escolha sem ridicularizar o EB. Bom salário e status é o que te atrai e não a sua luta LGBT”, comentou um usuário da rede.

Contudo, tais comentários foram suplantados pela maioria, que defendeu a trajetória de Renata e exaltou a importância da representatividade em todos os espaços. “Você não está só nessa luta, Renata! Ser mulher, tornar-se mulher, é viver fazendo política! Nesse nosso Brasil que nos envergonha mundialmente, ser LGBTQI+, mulher, preto, indígena, pobre, artista…é RESISTÊNCIA. Vamos resistir. Estamos juntas!”; “Não se abale, você é motivo de orgulho pra muita gente”, comentaram simpatizantes.

Por JH Notícias

TAGs:


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email