Search
Close this search box.

Morte de idoso deixado por filho com água e bolacha em casa é apurada

Senhor de 97 anos foi resgatado pela PM durante o feriado de Carnaval, após gritar por socorro. Ele morreu 10 dias depois
Publicidade

Um idoso acamado de 97 anos morreu, na capital goiana, dias depois de ser deixado sozinho pelo filho em casa, durante o feriado de Carnaval, apenas com água e bolacha para comer.

Ele foi resgatado por policiais militares no dia 27 de fevereiro, no Setor Maysa, em Trindade (GO), na região metropolitana. Devido à fragilidade do quadro de saúde, ele foi levado, em seguida, para um hospital em Goiânia e a morte foi confirmada no início desta semana.

Publicidade

No domingo de Carnaval, a polícia foi acionada por uma vizinha, que ouviu os gritos e pedidos de socorro vindos de dentro da casa onde o idoso morava com o filho de 36 anos e a nora.

Eles o deixaram sozinho no fim de semana e viajaram para uma cidade, no Entorno do Distrito Federal.

A porta da residência foi arrombada pelos policiais e o momento do resgate foi registrado em vídeo. Um policial chega a dizer, nas imagens:

“Veja a situação desse senhor. A família saiu para o Carnaval, viajou e deixou ele já tem dois dias”.

Segundo o delegado que assumiu a investigação, Rafael Borges de Macedo, o filho e a nora do idoso teriam saído durante a madrugada do dia anterior, por volta das 4h, e estavam com volta programada para a noite de domingo, a partir das 19h.

Eles saíram de Trindade e se deslocaram até uma cidade do Entorno, onde o filho alegou ter ido visitar a mãe. A informação preliminar repassada para a polícia, no entanto, foi de que ele saiu para curtir o Carnaval.

Água e bolacha
No quarto, o filho e a nora deixaram apenas água e bolacha, mas em um local distante da cama. Como o senhor já estava bastante debilitado, ele não conseguia se mover, tampouco se levantar sozinho para se alimentar.

Após o resgate, o caso foi registrado na Central de Flagrantes e enquadrado conforme os crimes previstos no Estatuto do Idoso e como abandono de incapaz.

O delegado informou ao Metrópoles que aguarda os laudos para esclarecer se a morte do senhor teve relação com o abandono ocorrido durante o feriado de Carnaval.

“Se confirmada a relação da morte com os maus-tratos sofridos, a pena do crime aumenta muito. Estamos aguardando [os laudos] para esclarecer isso”, diz ele.

( CLIQUE AQUI E VEJA VÍDEO )

Anúncie no JH Notícias