Search
Close this search box.

URGENTE – Hipster da federal gritou que era policial ao levar tiro que o matou

Agente da Polícia Federal desligou registro de energia e invadiu chácara em Buritinópolis (GO). Ele foi atingido com tiro abaixo do peito
Publicidade

O agente da Polícia Federal Lucas Soares Dantas Valença, de 36 anos, o Hipster da Federal, teria gritado que era policial assim que foi atingido por um disparo de arma de fogo na noite da última quarta-feira (2/3).

Ele foi morto em uma chácara no distrito de Santa Rita, em Buritinópolis, nordeste goiano, por volta das 23h30. Segundo boletim de ocorrência, ele desligou a energia de uma chácara e invadiu o local, ameaçando os proprietários.

Publicidade

Homem de cabelo longo

Homem segura chapeu

Homem tira foto em praia

Policial e presidente Bolsonaro

Dentro da chácara, estavam o proprietário, Marcony Pereira dos Anjos, de 29 anos, a esposa dele e o bebê do casal, de 3 anos.

Lucas Valença teria estourado a porta de vidro da chácara, o que levou Marcony a disparar um único tiro de calibre 22 para se defender. A vítima foi atingida abaixo do peito. Nesse momento, Lucas teria gritado que era policial. O dono da chácara ligou para o socorro, mas quando a ambulância chegou o homem já estava morto.

Escuro
“Estava muito escuro, porque o policial federal desligou a energia. O rapaz que atirou nem mirou, colocou no rumo e puxou o gatilho. Quando ele gritou que era policial, solicitou ambulância, mas já tinha vindo a óbito”, relatou ao Metrópoles o delegado Adriano Jaime Carneiro, que investiga o caso.

Informações preliminares dão conta de que o policial federal estaria tendo um surto psicótico no momento em que invadiu a propriedade e foi morto. Tais relatos foram passados à Polícia Militar por familiares.

Marcony não tinha antecedentes criminais e responde ao inquérito em liberdade. O caso está sendo apurado inicialmente como legítima defesa.

Anúncie no JH Notícias