Search
Close this search box.
Publicidade

Walewska, campeã olímpica pela Seleção de Vôlei, morre aos 43 anos

Walewska estava em São Paulo para divulgar a autobiografia
Publicidade

Campeã olímpica em Pequim 2008, a ex-jogadora de vôlei Walewska Moreira de Oliveira morreu, na noite desta quinta-feira (21/9), em São Paulo, ao cair do 17º andar do prédio onde morava. A atleta defendeu a camisa da Seleção Brasileira e se aposentou no Praia Clube, de Uberlândia, na temporada de 2021/2022. A causa da morte não foi divulgada.

Walewska estava em São Paulo para divulgar a autobiografia “Outras redes” e lançar uma linha de chocolates saudáveis. A obra foi escrita em parceria com Teco Condado e com prefácio de Bernardinho. Nela, a ex-jogadora fala sobre reconhecimento e cuidado.

Publicidade

A atleta foi revelada pelo Minas, em 1995, e ficou na equipe até 1998. Ela também defendeu o Rexona/Ades; São Caetano; Sirio Perugia, da Itália; Murcia, da Espanha; Zarechi, da Rússia; Vôlei Futuro; Vôlei Amil; Minas; Osasco; e Praia Clube.

Com uma carreira de sucesso no vôlei, Walewska conquistou o título da Superliga Feminina de Vôlei três vezes, além de um Troféu Super Vôlei, de 2020.

Em 2007, a atleta conquistou o vice-campeonato do Pan-Americano e da Copa do Mundo de Vôlei. No ano seguinte, em 2008, ela se consagrou campeã olímpica em Pequim, quando também se despediu da Seleção Brasileira.

Homenagens a Walewska

Diversos esportistas e entidades prestaram homenagens a Walewska. O Praia Clube, por exemplo, foi última equipe a qual Walewska defendeu. “O vôlei brasileiro e a comunidade esportiva perderam uma verdadeira lenda, e nossos pensamentos estão com a família e amigos neste momento difícil”, diz o comunicado.

“Que sua memória e legado continuem a brilhar como uma fonte de inspiração para as gerações futuras. A camisa número 1, usada por Wal, foi eternizada na nossa equipe em 2022 e será para sempre lembrada”, continua.

A própria Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) postou nas redes sociais uma homenagem à carreira da ex-jogadora. “Walewska era uma jogadora especial, sua trajetória no esporte será para sempre lembrada e reverenciada. Neste momento tão difícil, a CBV se solidariza com a família e os amigos desta grande jogadora”, escreveu o presidente da CBV, Radamés Lattari.

As jogadoras da Seleção Brasileira feminina de vôlei, na derrota para a Turquia no Pré-Olímpico do Japão (por 3 x 0), usaram um esparadrapo no braço, escrito: “W. #1 ♥”, para lembrar da ex-companheira. Veja:

Imagem colorida mostra Homenagem das jogadores da Seleção Brasileira de vôlei a Walewska - Metrópoles
Homenagem das jogadores da Seleção Brasileira de vôlei a Walewska

Conhecida pelas companheiras como amiga de sorriso fácil, teve uma carreira vitoriosa e longeva nas quadras. Colecionou amigos e diversos títulos, inclusive uma medalha de ouro olímpica.

“A Wal era puro sorriso, alegria, respeitava as pessoas. Só trazer esse testemunho de quem era a Walewska fora das quadras. Dentro, todo mundo percebia a postura de uma atleta exemplar e respeitada por todos”, afirmou Fabi, ex-companheira de Walewska na Seleção.

Combate Clean Anúncie no JH Notícias