Search
Close this search box.
Publicidade

Pequenos negócios respondem por 71% dos empregos criados até setembro

Agosto e setembro são os meses com melhores resultados
Brasília, DF, Brasil: Caixa Econômica Federal. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Publicidade

Entre janeiro e setembro de 2023, o Brasil gerou um total de 1,5 milhão de novos empregos formais, dos quais 1,1 milhão (ou 71%) foram criados por micro e pequenas empresas. Os meses de agosto e setembro se destacaram, registrando, respectivamente, 219.330 e 211.764 novas contratações com carteira assinada.

Essas estatísticas foram divulgadas em um relatório pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com base nos dados ajustados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Publicidade

Em setembro, mais de 211 mil vagas foram geradas, das quais 147.173 foram em micro e pequenas empresas, representando 69,5% do total. No mês de agosto, das cerca de 219 mil vagas criadas, 160.899 foram em pequenos negócios, correspondendo a 73,17% do total de postos de trabalho criados no mês.

As empresas de médio e grande porte contribuíram com a criação de 307,9 mil novas vagas ao longo do ano, o que equivale a 19,2% do total de cerca de 1,5 milhão de novos empregos gerados entre janeiro e setembro de 2023.

O setor de serviços se destacou como o principal contribuinte para a criação de empregos em setembro, com mais de 68,4 mil vagas preenchidas por micro e pequenas empresas. O comércio gerou 37,3 mil vagas, seguido pela construção com 19,8 mil empregos criados.

No acumulado do ano, as micro e pequenas empresas continuam liderando na criação de vagas, com destaque nos setores de serviços (590,6 mil), construção (218 mil) e comércio (162 mil).

Para as empresas de médio e grande porte, os setores de serviços (26,5 mil), indústria da transformação (24,4 mil) e comércio (6 mil) foram os que mais se destacaram em setembro. No acumulado do ano, serviços (177,6 mil), indústria da transformação (90 mil) e construção (26 mil) lideram em criação de empregos.

Com base na Classificação Nacional por Atividades Econômicas (CNAE), as atividades que mais contribuíram para a geração de empregos formais em setembro, entre as micro e pequenas empresas, foram os restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas (11 mil empregos gerados) e a construção de edifícios (6,6 mil empregos).

Já entre as empresas de médio e grande porte, as atividades que mais se destacaram foram a fabricação de açúcar em bruto (16,7 mil empregos gerados), locação de mão de obra temporária (5,3 mil) e limpeza em prédios e domicílios (2,9 mil).

Combate Clean Anúncie no JH Notícias