Search
Close this search box.
Publicidade

Endrick pode se tornar o atleta mais jovem desde Ronaldo a estrear pela seleção brasileira

Caso entre em campo contra Colômbia, no dia 16, ou diante da Argentina, 21, ele se tornará o jogador mais jovem à vestir a camisa nacional desde Ronaldo Fenômeno, em 1994
Publicidade

Dezessete anos, três meses e quinze dias. Com essa idade, e apenas duas temporadas como profissional do Palmeiras, o atacante Endrick foi convocado por Fernando Diniz para as partidas da seleção brasileira nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2026. Caso entre em campo contra Colômbia, no dia 16, ou diante da Argentina, 21, ele se tornará o jogador mais jovem à vestir a camisa nacional desde Ronaldo Fenômeno, em 1994.

A convocação de Endrick acontece após o camisa 9 ter sido decisivo na vitória do Palmeiras sobre o Botafogo, de virada, por 4 a 3. Pelo Brasileirão, marcou dois gols e deu uma assistência. Campeão da Libertadores no sábado, Diniz não hesitou em perceber o bom momento do jogador e oferecer-lhe uma oportunidade na seleção principal. Ele já esteve presente, desde o início da sua carreira, nas seleções de base do Brasil. Nesta temporada, marcou 11 gols em 47 jogos.

Publicidade

“É um jogador que tem potencial para ser um dos grandes talentos. Não sabemos se vai se confirmar. Não é uma pressão. É um prêmio e uma visão de futuro do que este garoto pode ser. Um menino nascido em 2006 produzir o que ele produz me chama atenção. E neste momento vive o seu melhor momento, jogando contra grandes times do Brasil e consegue se sobressair”, explicou Diniz nesta segunda-feira, em entrevista coletiva após o anúncio da convocação. O atacante também marcou o gol do Palmeiras na vitória contra o Athletico-PR por 1 a 0 no sábado.

Vendido ao Real Madrid no fim do ano passado, o contrato de Endrick com o clube espanhol garante ao Palmeiras mais 2,5 milhões de euros a cada cinco gols marcados na temporada. Trata-se de uma meta colocado ao jogador pelo time de Carlo Ancelotti. Diante do Botafogo, o jovem atleta, de 17 anos, alcançou dez gols em 2023, ativou o “gatilho” e reverteu ao clube alviverde pela segunda vez 2,5 milhões de euros (cerca de R$ 13,1 milhões).

PRECOCE

Ronaldo, em 1994, às vésperas do Mundial dos Estados Unidos, fez sua estreia na seleção comandada por Carlos Alberto Parreira em amistoso contra a Argentina. Com 17 anos, 6 meses e 5 dias, Ronaldo Nazário – que ainda atuava pelo Cruzeiro e não havia recebido o título de Fenômeno pelos feitos na Europa -, manterá o recorde caso Diniz não opte por utilizar Endrick nas próximas partidas das Eliminatórias. São grandes, no entanto, as chances de o atacante do Palmeiras atuar.

OUTRO NOMES

O atleta mais jovem a estrear pela seleção brasileira ainda é Pelé. Em 1957, o Rei do Futebol ganhou oportunidade pela primeira vez com a camisa canarinho em jogo da Copa Roca – o antigo superclássico das Américas – contra a Argentina também. Na ocasião, Pelé tinha 16 anos completos e foi convocado por Sylvio Pirillo. Os dados foram levantados pelo historiador Dennis Woods.

Na ocasião, Pelé entrou no segundo tempo, no lugar de Del Vecchio, e marcou o único gol brasileiro na derrota por 2 a 1 para a seleção argentina. No ano seguinte, na Copa do Mundo da Suécia, em 1958, ele se sagrou campeão e destaque da equipe, que conquistou seu primeiro título mundial. A camisa 10, que utilizou na competição, ganhou maior destaque após seus números e desempenho, tanto no Brasil quanto no Santos.

Além de Pelé, outro jogador fez sua estreia aos 16 anos no Brasil. Foi Edu, sétimo jogador com mais partidas na história do Santos. Ele foi convocado para o Mundial de 1966, na Inglaterra. Apesar do péssimo desempenho da seleção – eliminada ainda na fase de grupos -, é, até hoje, o atleta mais jovem a disputar um Mundial. Sua estreia aconteceu em amistoso, em junho daquele ano, às vésperas da Copa – contra a Polônia, em vitória por 4 a 1. Ele marcou 12 gols em 54 jogos pelo Brasil e se sagrou campeão em 1970, ao lado de Pelé.

Desde Ronaldo, nenhum atleta com menos de 18 anos estreou pela seleção brasileira. Com Ramon Menezes como técnico interino, Vítor Roque, vendido ao Barcelona nesta temporada, havia recém atingido a maioridade (18 anos e 25 dias) quando entrou em campo na derrota por 2 a 1 em amistoso em abril de 2023.

Combate Clean Anúncie no JH Notícias