Search
Close this search box.
Publicidade

Idosa é vítima de golpe no WhatsApp e perde quase mil reais, em RO

Estelionatário se passou por filho.
Publicidade

Uma triste história de golpe via WhatsApp abalou Vilhena recentemente, quando uma aposentada de 77 anos foi enganada e perdeu quase mil reais. O crime, que aconteceu há cerca de dez dias, foi registrado junto à polícia, e a filha da vítima, que também foi lesada por fazer a transferência do dinheiro para os golpistas, decidiu compartilhar essa experiência com o intuito de alertar a comunidade sobre esse tipo de engano.

A narrativa revela que na última sexta-feira, 18, a idosa recebeu uma mensagem no WhatsApp de um número (69) 99951-5178, alegando ser de seu próprio filho. O interlocutor afirmava que tinha trocado de chip e estava precisando urgentemente de R$ 950,00 para cobrir o conserto de seu carro.

Publicidade

No entanto, a realidade era bem diferente: o filho da vítima estava fora do Maranhão, a caminho de Vilhena para visitar seu próprio filho que havia passado por uma cirurgia devido a uma úlcera estourada. A situação da família já estava tensa o suficiente, o que tornou essa mensagem falsa especialmente cruel.

A idosa, impedida de sair de casa devido a suas obrigações com as crianças, que estavam sob seus cuidados enquanto a mãe delas estava no hospital, ligou para sua filha para compartilhar a situação. Desconfiada, a filha tentou entrar em contato com o irmão, mas ele estava em trânsito e não conseguiu atender. Mesmo com a conta de depósito não estando no nome do irmão e com o nome de Marizete Kereski, no PagSeguro S.A., a idosa foi convencida pelo golpista de que a conta dele na Caixa estava em manutenção e, portanto, não poderia receber o depósito.

Enquanto sua mãe estava preocupada com o filho e o neto, a filha fez a transferência por acreditar que estava ajudando em uma situação de urgência. No mesmo dia, outra mensagem chegou, dessa vez pedindo mil reais adicionais. A filha desconfiou ainda mais, tentou realizar uma chamada de vídeo para confirmar a identidade do suposto filho, mas o golpista evitou a chamada, alegando problemas de conexão.

Ao perceber que era vítima de um golpe, a mulher procurou ajuda na Caixa Econômica Federal para tentar reverter a transação, porém, sem sucesso. O registro do crime foi feito na Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp), mas as autoridades relataram a limitação em ações após o registro.

As mensagens suspeitas também foram direcionadas ao celular da mulher, usando outro número e com a foto do filho no perfil. A história serve como um alerta para a comunidade, incentivando a calma e a cautela ao lidar com pedidos urgentes em situações como essa. A irmã conseguiu retornar a tempo, aliviando o sofrimento da família e fortalecendo o apelo por atenção à segurança digital.

Com informações Folha do Sul*

Combate Clean Anúncie no JH Notícias