Search
Close this search box.

Autonomia da PF na elucidação do assassinato de Marielle Franco trará a verdade, diz Samuel Costa

O advogado também destacou a relevância de assegurar recursos adequados e uma equipe de investigadores competentes para conduzir o processo com eficiência e imparcialidade.
Publicidade

Na última segunda feira (24) o professor e advogado Samuel Costa concedeu uma entrevista a rádio Informa na Hora para discutir a autonomia da Polícia Federal na investigação do brutal assassinato da ex-vereadora Marielle Franco (PSOL). O crime, que chocou o país e reverberou internacionalmente, ocorreu em 2018, mas até hoje as respostas para saber quem de fato é o mandante desse terrível ato criminoso permanecem em aberto.

Na entrevista, o professor e advogado abordou questões fundamentais sobre a independência e capacidade de atuação da Polícia Federal no caso, levantando preocupações sobre a possível influência de interesses políticos e poderes obscuros que poderiam estar interferindo nas investigações nos últimos 5 anos.

Publicidade

“É essencial garantir que a Polícia Federal atue de forma totalmente autônoma nesse caso. A investigação do assassinato de Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes é de extrema importância para a justiça e a democracia em nosso país. Qualquer interferência externa poderia comprometer o curso correto das apurações e impedir que a verdade seja revelada”, afirmou Samuel Costa durante a entrevista.

O advogado também destacou a relevância de assegurar recursos adequados e uma equipe de investigadores competentes para conduzir o processo com eficiência e imparcialidade. “A elucidação desse crime não diz respeito apenas à família e amigos de Marielle, mas também ao conjunto da sociedade brasileira, que busca a garantia dos direitos fundamentais e a punição de qualquer ato criminoso”, pontuou Costa.

Marielle Franco, reconhecida defensora dos direitos humanos, das minorias e das mulheres, teve sua vida ceifada de forma trágica, deixando um legado de luta e inspiração para milhares de pessoas. Seu assassinato permanece como um símbolo de injustiça e impunidade que clama por resposta.

Ao final da entrevista, o professor e advogado Samuel Costa fez um apelo à sociedade e às autoridades para que o caso de Marielle Franco continue sendo uma prioridade nas investigações, garantindo que todas as informações e evidências sejam devidamente analisadas e que os responsáveis sejam devidamente responsabilizados, independentemente de suas posições ou influência.

“O Brasil aguarda ansiosamente por justiça para Marielle e Anderson [motorista que também foi assassinado no mesmo ataque]. Resta-nos esperar que a Polícia Federal cumpra seu papel com rigor e imparcialidade, trazendo à luz a verdade sobre esse ato hediondo e proporcionando algum alento à família e à sociedade enlutada. A luta por justiça e o legado de Marielle Franco persistem como símbolos da nossa busca por um país mais justo e igualitário.” concluiu Costa

Anúncie no JH Notícias