Chateado com Marcos Rocha, Eyder Brasil deixa liderança do governo na ALE

A situação estava insustentável e a decisão do deputado era dada como “uma questão de tempo”.

Política - quarta-feira, 23/09/2020 às 09h36min • Atualizado 10h12min
Chateado com Marcos Rocha, Eyder Brasil deixa liderança do governo na ALE
Imagem .GIF que ilustra campanha publicitária do Governo de Rondônia ao combate contra o Coronavírus.

Depois de ver seu interesse em disputar a Prefeitura da Capital ser preterido solenemente pelo governador Marcos Rocha-PSL, de quem foi líder e  fiel escudeiro no Poder Legislativo Estadual, o deputado Eyder Brasil-PSL, “chutou o balde” e renunciou ao cargo.

A renúncia foi feita através de Ofício 211/2020/GAB-DEP, datado 22, que o parlamentar protocolou no gabinete do chefe do executivo rondoniense.

Todavia, no ofício protocolado no gabinete do governador, Brasil esconde a ira, ao menos no papel,  e ainda agradece  Marcos Rocha pela confiança, afirmando que exerceu a liderança com “ética e moral” e que foi leal ao chefe do executivo rondoniense.

Brasil finaliza a comunicação alegando “motivos estritamente pessoais para pedir sua substituição da liderança do governo naquela casa de leis.”

Porém, para quem acompanha os bastidores políticos, sabe que não há nada de paz nessa relação das duas autoridades, senão no papel.

A verdade é que Marcos Rocha, ao invés de optar pelo apoio à candidatura de seu líder na Assembleia, como o deputado esperava, jogou o parlamentar para “escanteio” e firmou compromisso com Breno Mendes-AVANTE, candidatura manobrada nos bastidores pelo deputado Jair Montes que, agora, deverá assumir a liderança do governo na vaga deixada por Brasil.

Este fato no entanto, já era esperado, uma vez que Brasil é tido como “como cabeça quente” , adepto do “bateu levou”,  e convivência com Rocha tinha azedado ainda mais, depois  que a  primeira dama Luana Rocha teceu palavras de apoio à candidatura de Breno Mendes, com discurso inflamado e tudo.

Para entornar ainda mais o caldo, Marcos Rocha ainda nomeou Jair Montes como vice líder do governo do governo na Assembleia, e o parlamentar do  AVANTE passou a elogiar mais o chefe do executivo, chamando-o de “meu governador” e frequentando com mais intensidade o gabinete governamental. 

Este fato teria deixado Brasil bem mais irritado, que daí pra frente, passou a atacar Breno Mendes, como se quisesse dar recado ao governador do desconforto que vinha enfrentando.

Imagem .GIF que ilustra campanha publicitária do Governo de Rondônia ao combate contra o Coronavírus.

Aguardemos agora, cenas dos próximos capítulos.

CONFIRA O DOCUMENTO DA RENÚNCIA

Por Rondonoticias

TAGs:


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email