Search
Close this search box.
Publicidade

Economia em crescimento abre possibilidades até mesmo para mão de obra não especializada

Confira as notas do dia, por Cícero Moura.
Publicidade

DESTAQUE

De acordo com o Instituto de Logística Supply Chain (ILOS), o setor de logística representou 13,3% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2022.

Publicidade

EMPREGO

No quesito vagas, foram contratados 30 mil novos colaboradores no ano passado, o que representa um aumento de 58% na comparação com o total de admissões registradas em 2021, de acordo com a Associação Brasileira dos Operadores Logísticos (ABOL).

AINDA MELHOR

A associação ainda aponta que a perspectiva até o fim de 2023 é alta, pois quase 70% das empresas do setor pretendem abrir vagas.

COVID

Um dos principais motivos para esse crescimento foi a mudança do comportamento do consumidor durante a pandemia, que gerou a expansão do e-commerce no Brasil.

PELA INTERNET

O faturamento do setor foi de mais de R$ 13,8 bilhões no ano passado e o volume de compras online chegou a 31,1 milhões, 22% a mais que os 25,5 milhões de pedidos do ano anterior, segundo dados da Neotrust.

CHINESES

Além disso, a entrada de multinacionais chinesas criaram um boom de vagas que puxa esse crescimento com o aumento de consumo da população por esses produtos.

DIVERSIFICADO

Vale ressaltar que a logística não é apenas ligada ao transporte, e sim ao conjunto de áreas interligadas que permitem a entrega final da mercadoria ou serviço ao consumidor.

SETORES

Entre os principais cargos estão: operador de empilhadeira, auxiliar de carga, auxiliar de logística, assistente de operações, analista de transportes, auxiliar de inventário, auxiliar de estoque, promotor repositor, controller logístico, coordenador e diretor de supply chain, diretor de vendas, gestor de qualidade, profissionais de TI, entre outros.

CHANCE

Para quem se interessar, esse momento antes do natal é o período com maior número de contratações para quem não tem experiência. Os interessados devem se candidatar gratuitamente pelo site candidato.luandre.com.br. É importante que estejam com a documentação em dia, pois a maior parte das vagas são para início imediato.

EMPREGO

A PNAD Contínua, divulgada pelo IBGE, mostrou que Rondônia permaneceu com a menor taxa de desocupação do país no segundo trimestre de 2023. De acordo com a pesquisa, 2,4% da força de trabalho estavam desocupadas no período.

NÚMEROS

O índice é menor que o registrado no trimestre anterior (3,2%) e no segundo trimestre de 2022 (5,8%). Mas, apesar do baixo número de desocupados, 48,8% dos trabalhadores rondonienses não possuíam registros em carteira de trabalho ou CNPJ.

INFORMALIDADE

O grupo de trabalhadores por conta própria apresentou a maior taxa de informalidade em Rondônia: 89,7% destes trabalhadores não têm CNPJ. O índice também é alto entre os trabalhadores domésticos: 73,2% não têm registro em carteira.

ESTADOS

No geral, Santa Catarina (26,6%), Distrito Federal (31,2%), São Paulo (31,6%), Paraná (31,9%) e Rio Grande do Sul (32,4%) apresentam as menores taxas de informalidade. Já as maiores estão no Pará (58,7%), Maranhão (57%), Amazonas (56,8%), Bahia (52,7%), Ceará (52,5%) e Piauí (52,2%).

DONO DO NEGÓCIO

Rondônia também chama a atenção por ter a maior proporção de trabalhadores por conta própria. No estado, 37,8% das pessoas ocupadas estavam neste grupo. Amazonas (32,3%), Amapá (31,8%), Pernambuco (31,2%) e Maranhão (30,9%) completam o ranking dos cinco estados com as maiores participações de conta própria entre as pessoas ocupadas.

COMÉRCIO

Por grupamento de atividade, 181 mil (22,1%) das 821 mil pessoas ocupadas estavam trabalhando no comércio, 170 mil (20,7%) trabalharam no setor agropecuário e 155 mil (18,9%) estavam no conjunto da administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais. Os três segmentos representam 61,6% das pessoas ocupadas em Rondônia.

EXPECTATIVA

Na próxima semana, quarta-feira (23), com o show da dupla Maiara & Maraisa, acontece a abertura da Expovel.  A feira retorna após uma década sem ser realizada, e conta com o apoio do Governo de Rondônia, que cede o espaço do Parque dos Tanques ao evento.

INVESTIMENTO

O Governo do Estado investiu R$ 4 milhões, por meio de emenda parlamentar conjunta dos deputados da Assembleia Legislativa do Estado; e a Prefeitura de Porto Velho investiu R$ 500 mil. Os valores serão destinados ao Baile da Rainha, cavalgada, vaquejada, rodeios, e para a estrutura da feira.

ESTRUTURA

A Expovel contará com praça de alimentação, parque infantil, o Pavilhão do Empreendedor; área de exposições e leilões de animais, e o espaço para apresentação de shows locais e nacionais, como a da abertura com a dupla Maiara & Maraisa; e também da Casa Worship (gospel); Lauana Prado e Bruno & Barreto; João Bosco & Vinícius e Zé Felipe; e Guilherme & Santiago.

FESTA

Falando em diversão, a Prefeitura de Porto Velho vai realizar a 5ª edição do Festival de Praia de Fortaleza do Abunã, nos dias 1º, 2 e 3 de setembro deste ano.

DIVULGAÇÃO

A festa visa a promoção da localidade com suas belezas naturais, seu currículo histórico e sua gastronomia, em dias de lazer e entretenimento.

LOCAL

O distrito de Fortaleza do Abunã é revestido de um forte apelo de envolvimento onde ressalta-se para os visitantes a privilegiada localização em vasta área verde cercada de belezas naturais, além da atmosfera pacata do lugar.

ANUAL

O evento realizado uma vez a cada ano é muito aguardado pelas populações dos distritos do eixo da BR na Ponta do Abunã e até do vizinho estado do Acre. São três dias de lazer e entretenimento em meio à natureza e ambiente acolhedor.

Combate Clean Anúncie no JH Notícias